Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Pela segunda vez, Oscar não terá concorrentes negros entre atores, atrizes e diretores

Cinema

Divulgação

Cultura

Oscar

Pela segunda vez, Oscar não terá concorrentes negros entre atores, atrizes e diretores

Cheryl Boone Isaacs, a primeira presidente negra da Academia, aplaudiu a discussão: 'necessitamos adotar mais ações para garantir que a indústria seja mais inclusiva'

0

AFP

15 Janeiro 2016 | 09h44

Pelo segundo ano consecutivo, o Oscar não terá concorrentes negros entre os atores, atrizes e diretores, segundo o anúncio realizado nesta quinta-feira, 15, em Los Angeles. A hashtag #OscarsSoWhite ('Oscar muito branco') bombou nas redes sociais, com muitos usuários protestando pela falta de diversidade.

"Talvez tenham repetido #OscarsSoWhite porque Hollywood gosta das sequências", ironizou Jessica Goldstein, do blog ThinkProgress.

"Houve mais diversidade em 1936, durante os Jogos Olímpicos de Berlim", quando a cidade já estava sob o regime nazista, comentou o internauta Richard Hine em sua conta no Twitter.

A polêmica começou no ano passado, quando a diretora de Selma, Ava DuVernay, e seu protagonista, David Oyelowo, não apareceram entre os indicados ao Oscar pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

O filme, baseado na luta de Martin Luther King pelo reconhecimento dos direitos civis da comunidade negra, foi um sucesso de crítica.

Este ano, Will Smith e Idris Elba pareciam cotados por Um Homem entre Gigantes e Beasts of No Nation, respectivamente.

O mesmo caso ocorreu com Straight Outta Compton: A História do N.W.A, um sucesso de bilheteria nos Estados Unidos sobre as origens do grupo de "gangsta".

O protagonista de Creed, Michael B. Jordan, também era um forte candidato, mas foi seu companheiro de elenco, Sylvester Stallone, que obteve a indicação.

Cheryl Boone Isaacs, que em 2013 se tornou a primeira presidente negra da Academia, aplaudiu a discussão: "necessitamos adotar mais ações para garantir que a indústria (do cinema) seja mais inclusiva".

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.