Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Oscar: escolha de melhor filme se divide entre 'A Grande Aposta' e 'Spotlight'

Cinema

Divulgação

Cultura

Cinema

Oscar: escolha de melhor filme se divide entre 'A Grande Aposta' e 'Spotlight'

‘A Grande Aposta’ foi eleito pelo sindicato dos produtores e ‘Spotlight’, pelo dos atores, mas ‘O Regresso’ corre por fora

0

Ubiratan Brasil,
ENVIADO ESPECIAL

28 Fevereiro 2016 | 04h00

LOS ANGELES - Até há alguns anos, creditou-se ao Globo de Ouro o título de prévia segura do Oscar – os filmes e atores eleitos pelos correspondentes estrangeiros em Hollywood praticamente também estavam com a mão na estatueta dourada. A situação começou a mudar a partir de 1990 quando surgiu o prêmio do Sindicato de Produtores dos Estados Unidos (Producers Guild Awards, PGA na sigla em inglês). Desde aquela época, o PGA e o Oscar de melhor filme coincidiram em 19 das 26 premiações, o que representa um índice de 73% de acerto.

Já o Globo de Ouro representa, no mesmo período, com 40% de acerto – e não se pode se esquecer que os correspondentes estrangeiros elegem dois filmes como melhores do ano: o melhor drama e o melhor musical ou comédia.

Logo no primeiro ano do PGA, 1990, houve a equivalência com o Oscar, quando ambos elegeram Conduzindo Miss Daisy. O período mais crítico ocorreu entre 2004 e 2006, quando as preferências não bateram (veja no gráfico abaixo). Neste ano, os produtores escolheram A Grande Aposta como seu principal vencedor, o que o credencia como favorito.

Não um franco favorito, pois há outro sindicato, o dos atores (SAG, na sigla em inglês), que, além de premiar individualmente, elege o melhor elenco do ano, uma sutil maneira de escolher a melhor produção da temporada. E, em sua cerimônia, os atores escolheram Spotlight – Segredos Revelados.

A decisão tem peso porque, no Oscar, o melhor filme é escolhido com a soma dos votos de todos os membros da Academia, com predominância para atores e produtores. Assim, no ano em que os dois sindicatos sinalizam para a mesma produção, é praticamente certo que o Oscar está garantido. 

Mas, quando há divergência, surge uma curiosa queda de braço, o que vai acontecer neste ano. A tradição, no entanto, mostra que o SAG tem desvantagem em relação ao PGA: de 2005 a 2014, as escolhas dos atores coincidiram em apenas 50% com as do Oscar, cifra inferior aos acertos dos produtores.

A disputa, no entanto, pode não estar polarizada entre apenas as duas produções, pois O Regresso, de Alejandro G. Iñárritu, não perdeu tanta força apesar de as escolhas dos atores e produtores apontarem para outros vencedores. Como o mexicano venceu no ano passado tanto o PGA como o SAG com Birdman, alguns críticos acreditam que atores e produtores não quiseram carimbar novamente o nome de Iñárritu, ainda que, para muitos, desponte como favorito.

O cineasta mexicano é praticamente certo, no entanto, para ganhar o Oscar de direção, o que seria seu segundo consecutivo, uma vez que o sindicato da categoria o elegeu como o melhor do ano.

Já Leonardo DiCaprio é o franco favorito na categoria ator, assim como Brie Larson. Ambos foram escolhidos pelo SAG – ele por O Regresso, ela por O Quarto de Jack. A sueca Alicia Vikander também é esperada para subir ao palco do Dolby Theater nesta noite, para receber a estatueta de atriz coadjuvante por seu trabalho em A Garota Dinamarquesa. 

O mesmo não se pode dizer da categoria de ator coadjuvante, pois o SAG elegeu Idris Elba, por Beasts of No Nation, mas ele simplesmente não concorre ao Oscar, o que acirrou, aliás, a discussão sobre a ausência de atores negros na maior premiação do cinema.

A discussão, que ganhou corpo com as críticas de Spike Lee logo depois de anunciados os finalistas do Oscar, em janeiro, vem ganhando uma face financeira. Afinal, segundo expectativas, cada 30 segundos de propaganda durante a transmissão da festa vão custar US$ 2 milhões, um recorde. A rede de televisão ABC, responsável pelas imagens, anunciou que aguarda faturar ao menos US$ 120 milhões com comerciais, a maior desde então. O temor é uma queda na audiência, motivada principalmente por um possível boicote contra o “Oscar demasiado branco”.

OS MELHORES, PELO OSCAR E PELO SINDICATO DOS PRODUTORES

2000 

Sind. Produtores: ‘Beleza Americana’ 

Oscar: ‘Beleza Americana’ 

2001 

Sind. Produtores: ‘O Gladiador’ 

Oscar: ‘O Gladiador’

2002 

Sind. Produtores: ‘Moulin Rouge!’ 

Oscar: ‘Uma Mente Brilhante’ 

2003 

Sind. Produtores: ‘Chicago’ 

Oscar: ‘Chicago’ 

2004 

Sind. Produtores: ‘O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei’ 

Oscar: ‘O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei’ 

2005 

Sind. Produtores: ‘O Aviador’ 

Oscar: ‘Menina de Ouro’ 

2006 

Sind. Produtores: ‘O Segredo de Brokeback Mountain’ 

Oscar: ‘Crash – No Limite’ 

2007 

Sind. Produtores: ‘Pequena Miss Sunshine’ 

Oscar: ‘Os infiltrados’ 

2008 

Sind. Produtores: ‘Onde os Fracos Não Têm Vez’ 

Oscar: ‘Onde os Fracos Não Têm Vez’ 

2009 

Sind. Produtores: ‘Quem Quer Ser Um Milionário?’ 

Oscar: ‘Quem Quer Ser Um Milionário?’

2010 

Sind. Produtores: ‘Guerra ao Terror’ 

Oscar: ‘Guerra ao Terror’ 

2011 

Sind. Produtores: ‘O Discurso do Rei’ 

Oscar: ‘O Discurso do Rei’ 

2012 

Sind. Produtores: ‘O Artista’ 

Oscar: ‘O Artista’ 

2013 

Sind. Produtores: ‘Argo’ 

Oscar: ‘Argo’ 

2014 

Sind. Produtores: ‘12 Anos de Escravidão’ e ‘Gravidade’ 

Oscar: ‘12 Anos de Escravidão’ 

2015 

Sind. Produtores: ‘Birdman’

Oscar: ‘Birdman’ 

2016 

Sind. Produtores: ‘A Grande Aposta’ 

Oscar: ?

Mais conteúdo sobre:

Comentários