Assine o Estadão
assine

Cultura

Estadão Trends

Oscar 2016: Chris Rock confirma racismo em Hollywood, mas brinca e pede oportunidade a atores negros

Polêmica envolvendo a ausência de indicados negros na 88ª edição da cerimônia é alvo do discurso de abertura

0

O Estado de S. Paulo,
O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2016 | 23h16

Não se falou de outro assunto desde o anúncio dos idicados ao Oscar 2016. A ausência de atores negros indicados. Propagaram o boicote, assumido por Spike Lee, Will e Jada Smith, mas Chris Rock, convidado para assumir o papel de apresentador da noite, não deixou o cargo. E seu discurso foi inteiramente dedicado ao tópico.  

"Uau, vi pelo menos 15 negros trabalhando ali atrás", brincou o ator, logo na abertura. "Estou aqui para apresentar o Oscar, também conhecido como Prêmio das Pessoas Brancas. Sabe, se houvesse um prêmio dedicado aos apresentadores de Oscar, eu certamente não estaria entre os indicados." 

Rock conta como foi pressionado a desistir de apresentar a cerimônia. "É engraçado, porque as pessoas que nos dizem isso, são aquelas desempregadas. Por que são sempre as desempregadas que nos pedem para desistir? Pensei: 'Eles não vão cancelar o Oscar se eu desistir. E a última coisa que eu preciso é perder outro emprego." 

 

Ele lembra a ausência de indicados negros ao longo da história de 88 anos do Oscar. "Provavelmente tivemos anos sem indicados negros durante os anos 1950 e 1960", cita ao apresentador. "E as pessoas não protestavam, porque elas estavam preocupadas em protestar contra outras coisas." 

Rock, contudo, abre uma nova discussão dentro do tema. "Jada Smith dizer que não vai Oscar, que vai boicotar a cerimônia. Mas ela não tem uma série de TV? Jada boicotar o Oscar é o mesmo que eu boicotar a calcinha da Rihanna. Eu não fui convidado!" 

"Deveríamos ter uma categoria só para negros", brinca ele - ou não. "Afinal, já temos categorias para homens ou mulheres, não é? E isso já não faz o menor sentido. Afinal, estamos falando de uma avaliação por atuaçao, não existe gênero. Não vamos ver o Robert De Niro dizendo: 'É melhor eu pegar leve na atuação, ou a Meryl Streep não vai me alcançar." 

"A verdade é: existe racismo em Hollywood? É, existe", diz o ator. "Mas é preciso olhar de uma forma diferente, não é tão simples assim.

Rock pede oportunidade para atores negros, por fim. "Queremos ver atores negros tendo as mesmas oportunidades de brancos, sabe? Não só às vezes. Leo (Leonardo DiCaprio) tem ótimos papeis todos os dias. Todos conseguem, mas não é sempre assim com atores negros."  

 

Comentários