1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Oscar 2016: cerimônia marcada pelo desagravo à comunidade negra

- Atualizado: 29 Fevereiro 2016 | 20h 35

Chris Rock fez discurso no início da premiação

Cris Rock
Cris Rock

Lembrado o Oscar de 2016? Como aquele que elegeu como melhor filme um drama jornalístico apenas correto, como Spotlight? Aquele que, por fim, deu um Oscar a Leonardo DiCaprio por sua intensa atuação em O Regresso? Aquele que consagrou um diretor mexicano pela terceira vez consecutiva - Alfonso Cuarón e Alejandro Iñárritu, em dobradinha? Aquele que repôs as coisas em seu lugar e deu ao supervalorizado Mad Max apenas a primazia nos prêmios técnicos?

Talvez por tudo isso. Mas é mais certo que 2016 seja marcado como o ano de desagravo à comunidade negra de Hollywood. Quem viu a cerimônia, do red carpet ao encerramento, pôde notar a presença dos afro-americanos em toda parte. Apresentando, entrevistando, brilhando. Bastaria isso para dar o recado. E, talvez, ele assim fosse mais eficiente. Como Hollywood não é dado a sutilezas, precisou-se falar - e muito - sobre aquilo que havia causado tremendo mal-estar: a ausência, pelo segundo ano consecutivo, de atores e atrizes black entre os indicados. 

Usou-se muito o humor e, como se sabe, nessas cerimônias, o humor é a chave que pode abrir as portas da verdade sem mexer demasiado em suscetibilidades. Desse modo, toda a pantomima comandada por Chris Rock teve o ar não apenas de mea-culpa, mas de atitude afirmativa da Academia: “Certo, erramos; mas vejam só a festa que organizamos, vejam como podemos expor nossas mazelas em público e assim combatê-las”. Como tudo isso se dá no plano simbólico da festa e do espetáculo, não existem garantias de que medidas de inclusão serão de fato tomadas. A ver o que acontece nos próximos anos. 

Entre os premiados, a conversa é outra. Spotlight é um filme honesto e necessário. Duvido que seja lembrado daqui a alguns anos. O Regresso é muito mais cinema, e, embora seja impressionante, talvez nem tenha fôlego muito longo, isso na perspectiva do tempo, que depura os brilharecos do presente e separa o essencial do acessório. Quais desses filmes ficarão na memória do espectador depois de alguns anos? 

Oscar 2016: veja a lista dos ganhadores da premiação
Chris Pizzello/Invision/AP
Vencedores do Oscar 2016

Veja, a seguir, a relação de vencedores da 88ª edição do Oscar, que teve, entre suas escolhas, a vitória comemorada de Leonardo DiCaprio (foto). 

Uma aposta possível seria em O Filho de Saul, de László Nemes, eleito melhor estrangeiro, e O Abraço da Serpente, do colombiano Ciro Guerra. Se fosse necessário extrair deste Oscar um só momento de emoção, seria o da premiação do grande Ennio Morricone, aos 87 anos, pela trilha de Os Oito Odiados. Ali, tínhamos um mestre sendo reconhecido e, ao receber o prêmio, exprimindo-se em seu idioma, o italiano, como lhe cabia e era devido. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX