1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Morre o ator americano George Kennedy, de 'Corra que a Polícia Vem Aí'

- Atualizado: 01 Março 2016 | 19h 00

Vencedor de um Oscar em 1968 por 'Rebeldia Indomável' tinha 91 anos

Existem atores que permanecem nas sombras, eternos coadjuvantes, mas são tão bons que roubam a cena dos astros. George Kennedy era dessa estirpe. Contracenou com John Wayne, Kirk Douglas, Lee Marvin, James Stewart, Cary Grant, Burt Lancaster, Paul Newman. E as mulheres - Bette Davis, Ava Gardner. Às vezes, nem se sabia com quem contracenava - o espectador só tinha olhos para Kennedy. No domingo, enquanto a Academia de Hollywood celebrava sua festa para os melhores do cinema, ele estava morrendo em sua casa em Boise, Idaho.

George Kennedy tinha 91 anos e o neto Cory Schekel, que deu a notícia no Facebook, acrescentou depois que a saúde do avô definhou após a morte de sua segunda mulher, Joan McCarthy, em 2014. Morreu de amor, portanto, aquele que foi um dos mais eficientes durões de sua época. Kennedy fez incontáveis westerns e policiais. Entre filmes e participações em séries de TV foram mais de 200 títulos ao longo de cinco décadas. Em 1967, ganhou o Oscar de melhor coadjuvante por Rebeldia Indomável, de Stuart Rosenberg. O astro Paul Newman também foi indicado por seu papel de presidiário rebelde numa penitenciária da Flórida. Kennedy era o preso que mandava nos demais. Newman viu o colega ganhar a estatueta. Kennedy merecia.

George Kennedy em abril de 1968
George Kennedy em abril de 1968

Em seu necrológio, o The New York Times escreveu que Kennedy foi “um dos atores mais versáteis” e que “representou personagens duradouros no cinema e na TV”. Ele começou tarde no cinema. Fez a guerra no front da Europa e permaneceu no exército, no departamento de rádio e TV. Foi seu trampolim para os filmes. O ator e produtor Kirk Douglas foi seu padrinho. Fez um papel não creditado em Spartacus, de Stanley Kubrick, e outro maior em Sua Última Façanha, de David Miller, ambos produzidos por Douglas. Foi um dos bandidos que perseguiam Cary Grant e Audrey Hepburn em Charada, de Stanley Donen, um dos militares de A Primeira Vitória, de Otto Preminger.

Quem viu Os Filhos de Kate Elder, de Henry Hathaway, guarda na lembrança a imagem - ele vai emboscar John Wayne, mas o Duke, precavido, o derrubava com uma paulada no meio da cara. Kennedy era bom de briga, mas, eventualmente, fazia rir - na série Corra Que a Polícia Vem Aí. Em outra série, a de disasters movie Aeroporto, conseguiu sobreviver em todos os filmes. E, na TV, fez Sarge, The Blue Knight, Dallas e Wings (como ele mesmo). Em 2011, publicou sua autobiografia - Trust Me/Confie em Mim. Nós, o público, podíamos desconfiar dele quando fazia o bandido, mas nunca do ótimo ator, que sempre foi.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX