Alberto Pizzoli/ AFP
Alberto Pizzoli/ AFP

Italiana acusa o diretor Giuseppe Tornatore de assédio

Cineasta teria agarrado a showgirl Miriana Trevisan à força após reunião de trabalho

Ansa

04 Novembro 2017 | 11h19

Em meio às denúncias de abuso sexual que abalaram a imagem de Hollywood nas últimas semanas, uma acusação do outro lado do Atlântico atingiu na sexta-feira, 3, um dos cineastas italianos mais premiados da atualidade, Giuseppe Tornatore.

Em entrevista à revista Vanity Fair, a showgirl italiana Miriana Trevisan, que se tornara famosa nos anos 1990 como apresentadora da emissora pública Rai, contou que o diretor a agarrara durante uma reunião de trabalho 20 anos atrás. O episódio teria ocorrido em um encontro para discutir o filme A lenda do pianista do mar, que seria lançado em 1998.

"Após uma conversa tranquila sobre o filme, quando estávamos nos despedindo, o diretor me pediu para sair com ele para comer uma pizza. Eu respondi que tinha um compromisso, o agradeci e me levantei para ir embora. Ele me seguiu até a porta, me apoiou na parede e começou a me beijar no pescoço e nas orelhas, com as mãos em meu seio, de modo bastante agressivo. Consegui me desvencilhar e escapei", disse Trevisan.

** Spacey é acusado por integrantes da equipe de 'House of Cards' de abuso sexual

Em 13 de outubro, a showgirl já havia publicado um artigo insinuando que fora vítima de assédio sexual na indústria do entretenimento, mas sem entrar em detalhes. Por sua vez, Tornatore negou a denúncia e deu a entender que processará Trevisan.

"Estou lisonjeado que uma jovem mulher se lembre de mim depois de tantos anos. Eu lembro somente de um encontro cordial, portanto rechaço as insinuações contra mim, reservando-me o direito de agir nas sedes competentes para proteger minha honra", declarou o cineasta de 61 anos, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro por Cinema Paradiso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.