Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Hollywood terá Oscar mais incerto dos últimos anos

Cinema

AFP  | ROBYN BECK

Cultura

Hollywood

Hollywood terá Oscar mais incerto dos últimos anos

Sem grandes favoritos, premiação deve ter algumas surpresas

0

AFP

26 Fevereiro 2016 | 10h06

Após quase três meses de temporada de prêmios, Hollywood sedia neste domingo, 28, o Oscar mais incerto dos últimos anos, no qual O Regresso, Spotlight e a A Grande Aposta têm as mesmas chances de ganhar o prêmio de Melhor Filme do ano.

O Regresso concorre como o favorito da noite com 12 indicações e com a esperança de ser o trampolim para que seus protagonistas gravem em ouro seu nome na Meca do cinema.

Seu diretor, o mexicano Alejandro González Iñárritu, está a um passo de tornar-se o terceiro na história a ganhar duas estatuetas douradas consecutivas, seguindo o legado de John Ford e Joseph L. Mankiewicz.

Mas o que parece não haver dúvida é que Leonardo DiCaprio ganhará finalmente o primeiro Oscar de sua carreira, após quatro tentativas fracassadas e uma filmografia impressionante nas costas.

"A vitória de Leonardo DiCaprio não é nenhuma surpresa", disse à AFP a blogueira do Indiewire Anne Thompson.

Seu papel principal neste drama sobre a conquista do oeste, que reflete sobre os instintos de sobrevivência e vingança do ser humano, entusiasmou os críticos e o fez ganhar o Globo de Ouro, o SAG e o BAFTA.

DiCaprio entregou-se totalmente na campanha de prêmios e repetiu uma e outra vez que O Regresso é, de longe, o filme mais difícil que já fez: filmou em um frio extremo, sofreu contusões, carregou pesadas peles e até comeu fígado cru de um bisão.

O filme também pode coroar o mexicano Emmanuel Lubezki como Melhor Diretor de Fotografia da indústria, se somar seu terceiro triunfo após Birdman e Gravidade.

O dia de Rocky. A Grande Aposta chega com a vantagem de ter ganhado o prêmio do sindicato de produtores (PGA), chave para aumentar as possibilidades de receber o Oscar.

Mas seu diretor, Adam McKay, e seu ator coadjuvante Christian Bale - também indicado à grande festa do cinema americano - não receberam nenhum prêmio.

O filme recorda, em um tom tragicômico, como um grupo de banqueiros de Wall Street enriqueceu após detectar que a economia mundial colapsaria em 2008.

Spotlight não ganhou nada relevante, mas conta com o apoio da crítica desde o dia de sua estreia. O filme reconstrói a investigação que o jornal The Boston Globe realizou para denunciar os abusos sexuais de milhares de sacerdotes.

Rachel McAdamas e Mark Ruffalo competem por seus papéis secundários, assim como Tom McCarthy por sua direção.

Ponte dos Espiões, Brooklyn, Mad Max: Estrada da Fúria, Perdido em Marte e O quarto de Jack também concorrem ao Oscar de Melhor Filme.

Brie Larson tem todas as chances de ganhar Melhor Atriz do ano precisamente por O quarto de Jack, o drama com o qual foi conhecida por todo mundo interpretando uma mãe sequestrada junto a seu filho.

Hollywood se prepara, por outro lado, para viver um momento de cinema se Sylvester Stallone se impõe na categoria secundária por encarnar novamente Rocky Balboa em Creed.

O círculo se fecharia de forma mágica para o artista, porque há quase 40 anos foi indicado pela primeira - e última - vez graças ao personagem que o fez famoso.

Do lado feminino, a sueca Alicia Vikander e a britânica Kate Winslet disputam uma dura batalha por seus papéis em A Garota Dinamarquesa e Steve Jobs, respectivamente.

A primeira foi recompensada com o SAG - grande indicador de até onde se inclinam seus companheiros de profissão que votam no Oscar -, enquanto a segunda triunfou nos Globos de Ouro.

Colômbia busca a glória. A Colômbia desembarca com toda a ilusão de fazer história e ganhar seu primeiro Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira por O Abraço da Serpente, uma viagem ao passado para homenagear as tribos da Amazônia.

Seu diretor, Ciro Guerra, fez uma grande campanha para divulgá-lo em Hollywood, mas antes há o filme húngaro O filho de Saul, o grande favorito.

A América Latina também estará representada por História de um Urso, um curta-metragem animado do chileno Gabriel Osorio, e pela animação brasileira O Menino e o Mundo, que concorre ao prêmio da categoria.

Da Espanha, chega Paco Delgado, que busca seu primeiro prêmio pelo figurino de A Garota Dinamarquesa, após sua indicação em 2013 por Os Miseráveis.

A 88ª cerimônia do Oscar começará às 17h30 (23h Brasília) no coração de Hollywood, depois de mais de três horas de tapete vermelho.

Todo mundo espera que Chris Rock, que volta a apresentar os prêmios onze anos depois, comente sobre a falta de diversidade entre os indicados. Deve-se esperar mais três dias para ver se serão cumpridas as ameaças de boicote de alguns convidados.

Comentários