1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Filme feito por crianças conquista festival

Agencia Estado

29 Julho 2002 | 11h 33

José Herickison dos Santos, de 13 anos, sonha com uma bola de couro. Na cidade onde ele mora, Iturama, interior de Minas Gerais, a 400 quilômetros de Belo Horizonte, poucos garotos podem jogar futebol com uma bola de verdade. O desejo de entrar no campo com uma bola verdadeira foi realizado por José Herickison e outros 10 alunos de sua escola. A história se torna real no filme de animação Sempre Amigos, produzido pelos garotos. O trabalho de três minutos de duração foi um dos destaques entre os participantes da etapa paulista do Anima Mundi 2002. José Herickison é personagem do filme, mas também é um dos criadores do desenho. O garoto nunca saiu de Iturama. Mora numa casa na periferia com o pai, a mãe e dois irmãos. Trabalha das 13h às 18h numa loja de informática, onde ajuda a fazer instalações de impressoras e computadores. Ganha R$ 60 por mês e o dinheiro é insuficiente para comprar a bola - já que ele tem de ajudar a família - e a bicicleta, outro sonho de consumo que ele sabe o valor: R$ 140. Apesar de viver distante dos festivais de cinema, José Herickson espera o reconhecimento e, principalmente, a oportunidade de fazer outros filmes. "Sei que só poderei trabalhar com desenho se sair daqui. Quem sabe alguém gosta de meu trabalho e me chama para fazer um curso em São Paulo?" O filme que ele e seus colegas-cineastas fizeram só pôde ser efetivamente realizado porque a CTBC, empresa do grupo brasileiro Algar, que oferece serviço de telefonia fixa e celular, patrocinou oficinas de animação na Escola Estadual Tiradentes, onde os meninos estudam. Os cursos foram ministrados por Maurício Squarizi e Wilson Lazaretti, professores da Unicamp e do Núcleo de Cinema e Animação de Campinas, que ficaram uma semana no colégio. Ensinaram os garotos a fazer a animação, pegaram o material criado - mais de 500 desenhos - e finalizaram o filme. A seleção de Sempre Amigos para concorrer à mostra competitiva foi uma surpresa também para os professores, que produziram outros 19 trabalhos de animação em parcerias similares com a CTBC. De Iturama para São Paulo José Herickison diz que quando pensa em seu filme num festival, fica tentando imaginar a reação do público. "Nunca pensei que meu trabalho fosse visto no Rio ou em São Paulo. Queria saber o que as pessoa acharam." Sempre Amigos conta a história de garotos que juntam dinheiro para comprar uma bola, que custa R$ 22. O dinheiro arrecadado não é suficiente para a compra e os garotos vão recolher latas de alumínio na rua para conseguir o restante. "Já vendi muita latinha que achava na rua, mas agora que consegui um emprego, não preciso mais fazer isso", lembra José Herickison. A diretora da Escola Tiradentes, Sueli Aparecida da Silva Barbosa, diz que a realidade dos estudantes do colégio foi perfeitamente retratada no filme. "Isso me impressionou e me emocionou também. Eles colocaram no filme situações que demonstram a solidariedade necessária para que projetos sejam concretizados". Desde que aprendeu a fazer filmes de animação, José Herickison já criou outras quatro histórias, uma delas sobre um garoto voador, que ele diz se basear em Ícaro, da mitologia grega. Até agora não pôde animá-las porque não tem material: um computador e o programa necessário. Conta que chegou a pensar em fazer "uma vaquinha" como no enredo do filme que produziu, mas desistiu da idéia por se tratar de um valor muito alto. Apesar do obstáculo para dar continuidade ao seu novo sonho, o de ser um cineasta, ele não desiste. "Se meu filme foi para São Paulo, pode ser que outras coisas também aconteçam."

  • Tags: