AFP
AFP

Diretor espanhol Basilio Martín Patino morre aos 86 anos

Cineasta foi uma referência do chamado 'Novo Cinema Espanhol'

AFP

13 Agosto 2017 | 18h35

O diretor espanhol Basilio Martín Patino, autor de um cinema intimista censurado durante a ditadura franquista, faleceu neste domingo, em Madri, aos 86 anos - informou a Academia espanhola de Cinema.

Diretor, produtor e roteirista, Martín Patino foi uma referência do chamado Novo Cinema Espanhol, com filmes e documentários como Del amor y otras soledades, Los paraísos perdidos e Octavia.

"Falece Basilio Martín Patino, diretor de filmes como Canciones para después de una guerra, ou Nueve cartas a Berta", tuitou a Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha.

Nascido em Salamanca em 1930, Martín Patino estreou em 1965 com Nueve cartas a Berta, produção ganhadora da Concha de Prata no Festival de San Sebastián.

Depois que vários de seus filmes críticos foram censurados pela ditadura de Francisco Franco (1939-1975), filmou clandestinamente Queridísimos verdugos e Caudillo.

Seu último longa de ficção foi Octavia, apresentado em 2002 no Festival de San Sebastián. Martín Patino recebeu em 2005 a Medalha de Ouro da Academia espanhola de Cinema por uma obra "silenciosa, mas coerente, de um cineasta que permanece recluso na privacidade de seu trabalho".

Mais conteúdo sobre:
Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.