Reuters
Reuters

Cannes pede desculpas por polêmica sobre salto alto

Thierry Fremaux, diretor do festival, tentou tentou minimizar a controvérsia

AFP

21 Maio 2015 | 11h30

O diretor artístico do Festival de Cannes pediu desculpas após a polêmica gerada depois que mulheres que não usavam salto alto foram impedidas de pisar no tapete vermelho na última terça-feira, 19.

"Pedimos desculpas", disse Thierry Fremaux em um jantar no luxuoso no hotel Carlton na noite de terça-feira.

Mas ele tentou minimizar a controvérsia que surgiu depois que se espalhou pelas redes sociais que os serviços de segurança do Festival tinham impedido a entrada de algumas convidadas que estavam com sapatos baixos para a exibição do filme Carol, estrelado por Cate Blanchett.

"Talvez tenha havido excesso de zelo", argumentou, referindo-se aos guardas de segurança.

A história, que apareceu originalmente na revista Screen International, provocou centenas de tweets irados.

A produtora Valeria Richter, que tem um pé parcialmente amputado, disse à BBC que foi parada quatro vezes porque ela estava usando sapatos baixos quando entrava para ver o filme de Gus Van Sant, The Sea of Trees, com Matthew McConaughey sábado à noite.

O tema invadiu inclusive uma coletiva de imprensa do elenco do filme Sicario, do diretor canadense Denis Villeneuve, com Emily Blunt, Benicio del Toro e Josh Brolin

"Francamente, todos deveriam usar sapatos baixos", disse Blunt, que chegou caminhando com dificuldade justamente por estar usando saltos muito altos."Não deveríamos usar saltos altos", comentou a atriz britânica em resposta à pergunta de um repórter.

Villeneuve se apressou em acrescentar, desencadeando um riso generalizado: "Em sinal de protesto, Benicio, Josh e eu vamos subir a escadaria de salto alto nesta noite".

O festival emitiu um comunicado na terça-feira em que negou que houvesse uma regra formal que determine quais sapatos as mulheres devem usar.

Mais conteúdo sobre:
Festival de Cannes cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.