Reprodução
Reprodução

Caixa com quatro filmes do mestre do terror Mario Bava é lançada

Nela estão 'A Maldição do Demônio', 'A Garota que Sabia Demais', 'Cães Raivosos' e 'O Alerta Vermelho da Loucura'

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S. Paulo

31 Maio 2015 | 12h00

Fãs do horror cult podem comemorar. A Versátil acaba de lançar a caixa A Arte de Mario Bava, com quatro títulos do mestre do terror italiano: A Maldição do Demônio, A Garota que Sabia Demais, Cães Raivosos e O Alerta Vermelho da Loucura.

Mario Bava (1914-1980) é muito conhecido em ambientes cinéfilos. Mas quem foi, afinal? Antes de se tornar diretor, era tido como o mais brilhante cameraman italiano, tendo trabalhado com cineastas como De Robertis, Camerini, Steno e Monicelli. Em 1960, decide tornar-se ele próprio diretor e lança o que hoje é considerado uma das obras-primas do terror gótico – A Maldição do Demônio.

O filme é, de fato, aterrorizante, mas Bava age de maneira diferente dos diretores de terror contemporâneo, que se contentam com sustos e hectolitros de sangue cenográfico para provocar medo na plateia. Bava busca outro caminho. Trabalha, como poucos, no clima assustador. Como era já expert no manejo da câmera, sabe que esta é, vamos dizer assim, a “caneta” com a qual o cineasta escreve seu estilo. Desse modo, manejando-a com perícia, leva o espectador à Idade Média, quando uma bruxa será sacrificada. Antes de ser levada à fogueira, terá uma máscara pregada em seu rosto, como diz o título original italiano (La Maschera del Demonio).

Vale dizer que a inglesa Barbara Steele, que faz o papel da feiticeira, se tornará uma diva do cinema do terror italiano a partir deste papel. Nos extras do DVD, ela lamenta não ter dado interpretação mais intensa à personagem no hora da execução. “Acho que fui muito discreta, muito inglesa; deveria ter interpretado como Maria Callas em Medéia”, acredita. Pode ser. Mesmo assim a performance é impressionante. Lançada por Bava, Barbara pode ostentar em seu currículo uma participação no clássico dos clássicos de Federico Fellini 8 1/2. Ela faz Gloria, jovem amante inglesa de um homem maduro (Mario Pisu), amigo do diretor Guido Anselmi (Marcello Mastroianni).

Depois de flertar com Mastroianni, Gloria sofre uma crise histérica quando um mágico telepata garante que pode ler seus pensamentos. Fellinianos se lembrarão dela, com certeza.

O sobrenatural comparece também em O Alerta Vermelho da Loucura. O título não foi colocado por acaso. Toda a fotografia tende para os tons vermelhos, mesmo porque o protagonista é um assassino psicopata, que narra a própria história. John (Steven Forsyth) é herdeiro de uma casa de moda especializada em vestidos de noiva e está casado com uma mulher rica (Laura Betti). O casal vive mal, mas John descobrirá que não é nada fácil livrar-se da mulher. Enquanto isso, noivas são assassinadas de modo misterioso. O filme é uma tentativa de síntese de horror e psicanálise.

Os outros dois filmes do pacote – A Garota que Sabia Demais e Cães Raivosos – trabalham em registro mais realista. O primeiro mostra uma garota norte-americana que viaja a Roma e torna-se testemunha involuntária de um assassinato. O segundo acompanha, em tempo real, um grupo de criminosos que foge num carro fazendo vários reféns. São ambos muito bons.

Mais conteúdo sobre:
Cultura Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.