Paris Filmes
Paris Filmes

'Baseado em Fatos Reais' e 'Aos Teus Olhos' estão entre as estreias da semana

Dois dramas, um dirigido por Roman Polanski e outro pela brasileira Carolina Jabor estão em cartaz na cidade

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S. Paulo

12 Abril 2018 | 06h00

'Baseado em Fatos Reais' é suspense literário com toque sutil

Filme conta a história de uma escritora de sucesso que conhece uma ghost writer para ajudá-la durante crise criativa 

O mundo da literatura é palco para Baseado em Fatos Reais, novo thriller psicológico de Roman Polanski. Sua mulher na vida real, Emmanuelle Seigner, interpreta Delphine, escritora de sucesso que acaba de lançar um best-seller baseado na história de sua mãe. 

Estressada, insegura e à beira de um ataque de nervos, Delphine passa a ser atormentada por cartas ameaçadoras, que a acusam de haver exposto segredos de família em troca de sucesso e dinheiro. Delphine é casada com o apresentador de um programa literário na TV, François (Vincent Perez), que a deixa sozinha por causa de uma viagem de trabalho. 

É nesse contexto sufocante que Delphine conhecerá a sedutora Elle (Eva Green). Quem é Elle? Bem, ela se apresenta como ghost writer de celebridades. Entrevista atrizes, jogadores, cantores e escreve suas biografias. 

Vale lembrar que não é a primeira vez que Polanski trabalha com esse tema. Em O Escritor Fantasma, ele fazia de um ghost writer porta de entrada para uma trama política. Agora, a mesma figura leva à análise da complexa relação entre duas mulheres.

Como os melhores filmes de Polanski, também este, inspirado no livro de Delphine de Vigan, explora as questões de confiança e identificação que acontecem nas relações humanas. É mestre no controle do suspense psicológico. Em O Bebê de Rosemary, a personagem de Mia Farrow deve confiar naqueles vizinhos tão solícitos que a ajudam durante a gravidez? 

Aqui, Delphine, a escritora de sucesso, porém em crise, sabe o que de fato deseja a ghost writer tão inteligente e abnegada, embora um tanto autoritária? Por que motivo Elle insiste em que Delphine descubra o “livro interior”, que habita na alma da artista sem que ela tenha coragem de escrevê-lo? 

Se alguns momentos da trama parecem um tanto artificiais, ela não deixa de ter seus encantos, e surpresas. Enfim, há sempre um “toque Polanski”, mesmo em suas obras menores. 

Baseado em Fatos Reais (França/2017, 110 min.) Dir. de Roman Polanski. Com Emmanuelle Seigner, Eva Green, Vincent Perez, Josée Dayan

'Antes Que Tudo Desapareça', trama alienígena em ficção científica original

Talvez nunca se tenha visto filme de alienígenas como Antes Que Tudo Desapareça, de Kiyoshi Kurosawa. Nada de monstrinhos verdes: os que vão invadir a Terra simplesmente entram no corpo das pessoas e as dominam. A partir daí, começam a estudar a humanidade e esclarecer conceitos que, para eles, não fazem sentido. “Eu”, “outro”, “propriedade”, “família” – o que é tudo isso?

Para compreender, eles roubam esses conceitos e esvaziam as pessoas. Crítica à desumanização das relações humanas, o filme é também esperançoso. O conceito mais difícil de ser apreendido pelos extraterrestres é o de “amor”.

Antes Que Tudo Desapareça / Sanpo suru shinryakusha (Japão/2017, 129 min.)Dir. de Kiyoshi Kurosawa, com Masami Nagasawa, Ryuhei Matsuda

Um alerta em tempos de intolerância 

Em Aos Teus Olhos, seu segundo longa-metragem, a diretora Carolina Jabor acerta ao abordar um tema da hora: o linchamento digital. Rubens (Daniel de Oliveira) é um professor de natação amado pelos alunos. Um dia, ele é acusado de beijar um dos garotos na boca.

A acusação cai na web como uma bomba, alastra-se como vírus e, claro, transforma-se em culpa formada na corte sem apelação da internet. Com simplicidade, mas também com atenção às ambiguidades, Carolina discute com precisão o tema antigo da intolerância, que encontrou nas redes sociais seu melhor hábitat. 

Aos Teus Olhos (Brasil/2017, 90 min.)Dir. de Carolina Jabor, com Daniel de Oliveira, Malu Galli, Marco Ricca, Gustavo Falcão, Stella Rabello

Um road movie das pessoas simples 

A Noiva do Deserto, de Cecília Atán e Valeria Pivato, é oportunidade para curtir o trabalho de uma das grandes atrizes do continente. A chilena Paulina García (de Gloria) faz a personagem Tereza, que trabalha como doméstica em uma casa de família. Quando os patrões resolvem se mudar, Tereza perde o emprego e é chamada para ajudar a preparar um casamento numa cidade no interior.

Um incidente na rota, porém, faz com que a viagem se torne mais complicada. E também mais atraente. Bom filme de estrada que, além da excelente atriz, e ótimo elenco, conta com a sensibilidade feminina na direção. Em dose dupla. 

A Noiva do Deserto (Arg., Chile/2017, 78 min.)Dir. de Cecilia Atán, Valeria Pivato. Com Paulina García, Claudio Rissi

‘Rampage’ e a fúria  de seus monstros 

Em Rampage – Destruição Total, o especialista em primatas Davis Okoye (Dwayne Johnson) cuida do gorila George desde o nascimento. Mas uma experiência genética resulta num terrível erro científico que transforma George e outros primatas em monstros imensos que causam uma onda de destruição. E cabe a Okoye descobrir um antídoto para impedir que esses animais agora gigantescos, incluindo o gorila George, o lobo Ralph e o crocodilo Lizzie, provoquem uma catástrofe global.

Não vai ser nada fácil a tarefa de deter a fúria incontrolável desses monstros, principalmente quando começam a aparecer mais animais modificados.

Rampage - Destruição Total (EUA/2018, 107 min.)Dir. de Brad Peyton. Com Dwayne Johnson, Naomie Harris

O caminho da intimidade por linhas tortuosas

O sul-coreano Hong Song-soo é um artista da intimidade. Por isso, há gente que o considera o “Eric Rohmer” oriental. Alusão ao diretor da nouvelle vague, mestre do diálogo sutil. Em especial quando os interlocutores são um homem e uma mulher com interesse recíproco. 

Como seu mestre francês, Song-soo também não teme as cenas longas e faladas. Uma delas, aliás, pode ser vista como ponto alto de O Dia Depois. Areun (Kim Min-Hee) vai para o seu primeiro dia de emprego em uma pequena editora. 

Sai para almoçar com o chefe, Bongwan (Hae-hyo Kwon) e, no restaurante, tomam uns tragos. Rola certa intimidade e a conversa ganha contornos inesperados. Em especial porque Bongwan é casado e havia brigado com a mulher de manhã. Os enquadramentos são elegantes e precisos. Os diálogos, tortuosos, acabam por levar os personagens ao fundo de si mesmos. Como se sabe, o caminho para a subjetividade nunca é uma linha reta. 

O Dia Depois / Geu-Hu (Coreia do Sul/2017, 92 min.)Dir. de Sang-Soo Hong. Com Min-Hee Kim, Hae-hyo Kwon, Kim Saeybuk, Cho Yunhee

Severina’, a moça que roubava livros 

Um livreiro fica fascinado por uma jovem que entra em sua loja para furtar livros.

Filme hispânico do brasileiro Felipe Hirsch, baseado no romance Severina, do guatemalteco Rodrigo Rey Rosa, mostra que a paixão pela literatura pode mesclar-se a um estranho caso de amor.

Severina (Brasil/2017, 103 min.)Dir. de Felipe Hirsch. Com Javier Drolas, Carla Quevedo, Alfredo Castro, Alejandro Awada

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.