1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Barack Obama fala sobre a polêmica racial no Oscar deste ano

- Atualizado: 28 Janeiro 2016 | 16h 07

Presidente dos EUA considerou que o debate faz parte de uma questão mais ampla

O presidente americano, Barack Obama, comentou nesta quarta-feira, 27, a polêmica sobre as indicações ao Oscar, sem atores negros, e considerou que o debate faz parte de uma questão mais ampla, com a qual o país está lidando.

"Acredito que, quando se conta a história de todo mundo, então, isso faz que haja uma arte melhor", disse Obama à uma filial da ABC. "Isso colabora com um entretenimento melhor, faz que todos se sintam parte de uma única família americana", completou.

"Acho que, em geral, a indústria deve fazer o que qualquer outra indústria deve fazer, que é buscar talentos, oferecer oportunidades a todo mundo... E acho que o debate do Oscar é, na realidade, uma expressão desta questão mais ampla", avaliou. "Estamos garantindo que todos tenham uma oportunidade justa?", questionou. 

Eleito por duas vezes personalidade do ano pela Time, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama figura na lista dos líderes mais influentes do mundo. O levantamento da Time não se trata de um ranking, por isso não há ordem de importância entre as personalidades listadas pela revista. 

Eleito por duas vezes personalidade do ano pela Time, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama figura na lista dos líderes mais influentes do mundo. O levantamento da Time não se trata de um ranking, por isso não há ordem de importância entre as personalidades listadas pela revista. 

Pelo segundo ano consecutivo, a ausência de atores, atrizes e diretores negros nas indicações da disputa pela estatueta dourada levou o conselho da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas a aprovar, esta semana, o aumento até 2020 do número de mulheres e de representantes de minorias que integram a instituição.

Oscar 2016: veja os artistas negros que foram premiados no Oscar
Divulgação
Spike Lee

Spike Lee. O diretor, que recebeu um Oscar honorário em novembro de 2015, disse na ocasião: “É mais fácil um negro virar presidente dos Estados Unidos do que de um estúdio em Hollywood”. Ele se referia ao fato de que, pelo segundo ano consecutivo, não tinha nenhum artista negro indicado nas categorias de atuação e direção. Lee tem protestado nas redes sociais e já anunciou que não vai à cerimônia da Academia, em 28 de fevereiro 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX