Fox Film
Fox Film

Análise: 'Três Anúncios para Um Crime' mostra uma América profunda, com violência e humor

Longa é corrosivo, mas não deixa de ter humor

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2018 | 06h00

Ganhou o Globo de Ouro, já foi considerado favorito para o Oscar, mas talvez não seja mais porque é provável que dê espaço para alguma outra produção mais afinada com a agenda do ano que passou. Talvez vença A Forma da Água, ou Corra!, com protagonista e diretor negros, o que não seria nada mal.

+++ Ira e vingança movem 'Três Anúncios para Um Crime'

Em todo caso, ganhe ou não uma corrida dominada pelo politicamente correto, Três Anúncios para Um Crime mantém obviamente suas qualidades intactas, para quem quiser vê-las. E justamente um de seu melhores trunfos é a forte interpretação de Frances McDormand como Mildred Hayes, a mãe inconformada com uma lei preguiçosa, que não age para punir o assassino de sua filha, Angela. Ela é quem aluga os três outdoors à beira de uma estrada semideserta, que funcionam como denúncia da inoperância dos agentes da lei. Um fato verídico, que inspirou o diretor Martin McDonagh.

A história elege como antagonista de Mildred o delegado local, Willoughby, papel de Woody Harrelson. Ora, Willoughby não é um vilão. Longe disso. Tenta fazer o que pode. Além disso, está doente, muito doente. A auxiliá-lo, o policial maluquete Dixon (Sam Rockwell), favoritíssimo para o Oscar de coadjuvante.

De qualquer forma, tomando como locação o Missouri, estado do Centro-Oeste, Três Anúncios é um mergulho detalhado na América profunda. Fala não apenas na seletividade da lei, como na intolerância, racismo e preconceitos vários de que é formada uma sociedade tida como estável. Conforme diz seu diretor, não se trata de um comentário sobre a América de Trump, mesmo porque o roteiro foi escrito anos antes da sua eleição. Mas é inevitável pensar que o filme se desenvolve num ambiente que torna possível a eleição de tipos exóticos ao cargo máximo da nação. Aliás, Três Anúncios é ambientado num Estado em que a crônica tensão racial no Estados Unidos tem se revelado mais aguda.

Três Anúncios para Um Crime é corrosivo, mas não deixa de ter humor. Pelo contrário, talvez o cômico seja seu traço mais marcante, embora estruturado sobre uma situação trágica. Tem bom ritmo, diálogos afiados e nenhum receio diante da estranheza da vida. Filmaço.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.