1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Análise: 'Cinco Graças' trata com leveza de temas sérios e atuais

- Atualizado: 18 Fevereiro 2016 | 03h 00

Longa é um dos indicados ao Oscar de melhor filme estrangeiro

Deixando de lado a estranheza de um filme turco, falado em turco e dirigido por uma cineasta turca representar a França no Oscar, até que Cinco Graças pode ser considerado bem curioso.

Até se entende, por razões extracinematográficas, todo o interesse despertado. O longa fala no mundo islâmico, tema candente no mundo todo, na França em particular, por razões históricas e casos recentes. Tenta ver quão heterogêneo esse mundo pode ser, ao contrário do que fazem clichês e preconceitos, que o aprisionam em uma visão unidimensional. Por fim, trata de um problema que extrapola essa questão, o da opressão sobre as mulheres.

A história é das cinco irmãs que, ao voltarem da escola, se mostram entusiasmadas em excesso com brincadeiras envolvendo o sexo oposto. A família, comandada por um tio de vocação ditatorial, resolve que é melhor preservar a integridade das moças, aprisionando-as em casa para que não cedam às tentações do mundo.

Cena de 'As Cinco Graças'
Cena de 'As Cinco Graças'

A diretora Deniz Gamze Ergüven, nessa que é sua estreia, impõe certo frescor à história. Trata de temas pesados, mas faz com que o humor alivie um pouco a barra de tempos em tempos. Além disso, dá às jovens o salvo-conduto da rebeldia, essa moeda que, em cinema, nunca perde seu valor. Está acima de modismos e escapa sem escoriações da inflação do uso. 

Desse modo, o filme torna-se agradável. Embora, mesmo em seus momentos trágicos, seja superficial. Vale-se do artifício de uma narradora, Günes Sensoy, de 13 anos, a testemunha de toda a história. E dos tempos melhores que se anunciam, quando a opressão cessar. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX