Danny Moloshok/AP
Danny Moloshok/AP

Agnès Varda, de 89 anos, é a mais velha cineasta a concorrer ao Oscar

Diretora está na disputa de melhor documentário por 'Visages Villages'

Sandy Cohen, AP

07 Fevereiro 2018 | 19h29

LOS ANGELES - Agnès Varda não é apenas a mais idosa cineasta a ser indicada para um prêmio da Academia, mas a primeira mulher a receber um Oscar honorário e uma indicação na competição na mesma temporada. Embora esteja feliz com tal reconhecimento, Varda, de 89 anos, observou que não está “orgulhosa”.

+++ Obra da diretora Agnès Varda, 'Visages Villages' concorre ao Oscar de documentário

Ela afirmou várias vezes não estar orgulhosa na entrevista concedida por telefone de sua casa na França, ao saber que Visages, Villages foi indicado para o Oscar de documentário. “Não é caso de estar orgulhosa, mas feliz”, garantiu a diretora de clássicos como Cléo das 5 às 7 (1962). “Feliz porque fazemos filmes que amamos. Fazemos filmes para que vocês os amem também. Amo meu trabalho e há anos faço cinema, não pela glória ou dinheiro. Meus filmes nunca renderam dinheiro.”

+++ Agnès Varda mantém-se firme na preservação da memória do marido e diretor Jacques Demy

Nascida na Bélgica, Agnès Varda compartilha a indicação com seu codiretor, o fotógrafo francês JR e sua filha Rosalie Varda, que produziu o documentário.

+++ Críticos do 'Estado' avaliam indicados ao Oscar de melhor filme estrangeiro

O filme foi inspirado pela relação de Agnès com JR, de 34 anos, artista de rua que se especializou em galerias e instalações fotográficas ao ar livre, conhecido pelas enormes fotos do mundo real, como a de um garoto olhando por cima de um muro na fronteira do México, ou uma imagem de dois olhos gigantes sobre dois tanques de água. Trama acompanha uma viagem do fotógrafo pela França, encontrando pessoas, capturando imagens e conversando sobre arte.

+++ Indicados ao Oscar 2018 são anunciados; veja a lista de candidatos

Agnès diz que passou mais de um ano e meio realizando o filme, com filmagens durante uma semana por mês. “Não podia ser mais do que uma semana por mês. Porque eu me cansava. Sabe, sou uma pessoa idosa!”

Ela não participou do tradicional almoço com os indicados para o Oscar na segunda-feira, dia 5, mas JR garantiu que ela participasse da foto do grupo: trouxe um recorte em papelão em tamanho real com uma foto de Agnès segurando um gato, que expôs no tapete vermelho e no pódio com o resto dos indicados reunidos.

Em novembro, Agnès dançou com Angelina Jolie durante a entrega do Oscar honorário atribuído pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, ocasião em que recebeu um prêmio pelo conjunto da sua obra como cineasta em uma carreira de mais de 60 anos. “Todos estavam na sala, fui muito bem recebida e senti-me muito bem.”

Agnès foi convidada para a 90.ª cerimônia de premiação do Oscar, dia 4 de março, da qual já planejava participar com sua filha, mesmo antes da indicação.

“Mas não vou mudar meu cabelo de duas cores”, disse ela, embora alguém tenha sugerido que o fizesse. “Estamos felizes. Mas nada para ter orgulho.” / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

 

Mais conteúdo sobre:
Agnès Varda Oscar [prêmio de cinema]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.