Academia europeia de cinema pede libertação de diretor ucraniano preso na Rússia

Pedro Almodóvar, Ken Loach e Win Wenders assinaram carta destinada a Putin solicitando esclarecimentos

EFE

10 Junho 2014 | 14h59

A Academia do Cinema Europeu (EFA) pediu nesta terça-feira informações ao presidente russo Vladimir Putin, sobre o paradeiro de Oleg Sentsov, diretor ucraniano detido em Moscou, em uma carta assinada por cineastas como Pedro Almodóvar, Ken Loach e Win Wenders.

A missiva, escrita por cinqüenta membros da Academia, é dirigida às principais autoridades russas (a presidência do país, à Duma, a ministérios e ao Ministério Público), e solicita que a situação de Sentsov seja esclarecida.

O diretor ucraniano foi detido pelo Serviço de Segurança Federal da Federação Russa (FSB) quando estava na sua casa em Simferopol, na Crimeia, no dia 11 de maio. Da península, recentemente anexada à Rússia, foi levado a Moscou, onde segundo fontes da Academia se encontra detido em espera de julgamento. As acusações contra o cineasta ainda não foram divulgadas oficialmente.

A carta ainda expressa a “profunda preocupação” pela situação do colega ucraniano, e pede “respeitosamente” que se garanta a segurança de Sentsov, e que sejam divulgadas as acusações. Também há um pedido para que se considere a libertação do diretor.

Além de Almodóvar, Loach e Wenders, presidente da EFA, assinaram a carta o espanhol Antonio Saura, o finlandês Aki Kaurismäki, o britânico Mike Leigh, o alemão Volker Schlöndorff, o francês Bertrand Tavernier, o polonês Andrzej Wajda, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.