Carlo Allegri/File
Carlo Allegri/File

Academia de Televisão dos EUA expulsa Harvey Weinstein

A instituição, que a cada ano entrega os prêmios Emmy, também disse estar "determinada" a proteger todos os profissionais da pequena tela perante este tipo de conduta.

EFE

07 Novembro 2017 | 22h07

A Academia de Televisão expulsou nesta terça-feira,7, Harvey Weinstein da organização "pela vida toda" como resposta às dezenas de acusações por casos de abuso e assédio sexual que foram reveladas nas últimas semanas contra o produtor.

Em comunicado de imprensa, que foi replicado por veículos de imprensa locais, a instituição condenou hoje os exemplos generalizados do "horrível comportamento" do produtor e mostrou seu apoio a todos aqueles que estão "alçando voz contra o assédio em todas suas formas".

A Academia de Televisão, que a cada ano entrega os prêmios Emmy, também disse estar "determinada" a proteger todos os profissionais da pequena tela perante este tipo de conduta.

A decisão da Academia de Televisão se une à da Academia de Hollywood, organizadora dos prêmios Oscar, que expulsou o produtor da instituição em meados de outubro.

+ Abusos sexuais de Harvey Weinstein já eram tema de 'piadas'

O sindicato de produtores de Hollywood (PGA, em inglês) também iniciou o processo para tirar Weinstein de sua organização, mas o produtor decidiu não esperar à decisão final e renunciou a esta instituição.

O escândalo em torno de Weinstein, que causou um terremoto em Hollywood, encorajou várias vítimas do mundo do espetáculo a denunciar diferentes casos de abuso e assédio sexual nos quais figuram como acusados, entre outros, os atores Kevin Spacey e Dustin Hoffman, o ex-presidente do Amazon Studios Roy Price, e os cineastas Brett Ratner e James Toback.

Mais conteúdo sobre:
Harvey Weinstein

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.