Thomas Urbain/ AFP
Thomas Urbain/ AFP

Petição denuncia tela 'sugestiva' no Met de Nova York

'Teresa sonhando', de Balthus, traz uma jovem sentada e fazendo seu vestido se levantar, revelando a roupa íntima

AFP

06 Dezembro 2017 | 08h33

Mais de 9.000 pessoas assinaram nesta terça-feira, 5, uma petição para que o Met de Nova York retire ou contextualize uma tela de Balthus na qual uma jovem aparece em uma posição "sugestiva".

Os críticos do trabalho do pintor franco-polonês consideraram a imagem inapropriada, considerando os efeitos do escândalo de Harvey Weinstein, denunciado por várias mulheres por assédio sexual, abrindo um debate no país sobre a conduta sexual em personalidades proeminentes.

Na obra Teresa sonhando, pintada em 1938 por Balthasar Klossowski de Rola - mais conhecido como Balthus -, uma jovem aparece sentada com uma perna apoiada em uma cadeira, fazendo seu vestido se levantar acima dos quadris, revelando sua roupa íntima.

A autora da petição, Mia Merrill, considerou "perturbador" que o Museu Metropolitano de Arte, uma referência mundial em sua área, exibisse o quadro

** Diretor de animação da Disney, John Lasseter sai de licença por 'comportamento inadequado'

"Em vista do clima recente sobre abuso sexual e as acusações que se tornam públicas a cada dia, ao exibir este trabalho às massas sem prover nenhum tipo de esclarecimento, o Met está, talvez sem intenção, apoiando o voyerismo e a objetificação das crianças", destacou Merrill em uma carta.

** O efeito Weinstein: A lista dos homens acusados de assédio sexual e o impacto sobre eles

Procurada pela AFP, Merrill não esteve disponível para fazer comentários.

Uma fonte próxima ao Met informou à AFP que a instituição não pretende retirar a tela, nem modificar o letreiro ao lado da mesma.

"Momentos como este oferecem a oportunidade para uma conversa", indicou o museu em um comunicado obtido pela AFP.

"A arte visual é um dos meios mais importantes que temos para refletir ao mesmo tempo sobre o passado e o presente, e motivar a constante evolução da cultura atual através de uma discussão informada e o respeito à expressão criativa", acrescentou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.