1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Nova Aguilar reestrutura catálogo e lançamentos

Roberta Pennafort - O Estadao de S.Paulo

31 Dezembro 1969 | 21h 00

Edição da poesia completa e prosa de Ferreira Gullar inaugura a parceria da editora com a Nova Fronteira

Fundada na década de 50, a Nova Aguilar, especializada em edições de luxo de clássicos da literatura mundial, passa por nova fase. Em junho, a editora firmou acordo com a Nova Fronteira, do grupo Ediouro, garantindo mais fôlego para seus lançamentos. Até novembro, deverá colocar na praça a poesia completa de Ferreira Gullar, cujos títulos estão sendo reunidos pela primeira vez, além do segundo e último volume das comédias de Shakespeare traduzidas. Outra boa notícia: os livros, que custam entre R$ 100 e R$ 500, já podem ser comprados em sites na internet (em grandes portais de compras e também na página da Nova Fronteira), e melhor: parceladamente. Sebastião Lacerda, o proprietário da editora, explica que a idéia é torná-los acessíveis a um público maior do que os colecionadores habituais. ''''Os nossos livros são mais caros porque têm muitas páginas, mas valem quanto custam, já que têm biografia do autor e textos críticos sobre sua obra'''', ressalva Lacerda. No caso de Ferreira Gullar, está sendo preparado um volume alentado, de mais de mil páginas. A organização é do acadêmico Antonio Carlos Secchin, com colaboração do próprio poeta. Estarão no livro toda a poesia de Gullar e uma parte de sua produção como crítico de arte, ensaísta e dramaturgo - por isso, a edição é chamada de ''''poesia completa e prosa'''', e não de ''''obra completa''''. ''''Quem é escritor e jornalista não pode ter toda a obra reunida, senão fica um volume muito grande'''', brinca Gullar. Ele se diz honrado por ganhar uma edição da Nova Aguilar - que tem como marcas a encadernação sempre caprichada, de capa dura, o papel bíblia e a tipografia miúda. ''''É a única editora que faz isso. Eu me sinto orgulhoso, porque é uma forma de reconhecimento de uma obra, algo especial. Quando era garoto, jamais imaginei que chegaria tão longe.'''' A emoção é justificada: Gullar passará a fazer parte de um catálogo de cerca de 60 autores, como Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade (três campeões de vendas), Machado de Assis, Euclides da Cunha, Oscar Wilde, Dostoievski e Eça de Queiroz. Sebastião Lacerda explica que a nova fase da editora - que pertenceu a seu pai, o ex-governador do Rio Carlos Lacerda - será marcada pela restauração do catálogo, reimpressão de livros e melhoria de edições antigas. ''''Queremos fazer três projetos por ano.'''' Para 2008, está prevista a ampliação do volume dedicado a Machado, por ocasião do centenário de sua morte (serão incluídos contos que foram descobertos depois de 1959, quando a obra completa foi editada). Graças ao acordo com a Nova Fronteira, pelo qual esta fica responsável pela comercialização dos títulos e a administração financeira da Nova Aguilar (a coordenação editorial é feita em parceria, conforme informou Lacerda), a editora ''''ganhou musculatura''''. Em três anos, o grupo terá a opção de comprar a Nova Aguilar.

  • Tags: