Timothy A. Clary/AFP
Timothy A. Clary/AFP

Instalação de Shia LaBeouf contra Trump é suspensa por atos violentos

De acordo com a direção do Museum of the Moving Imagem, em Nova York, embora a obra tivesse um intuito construtivo, sua ideia se deteriorou significativamente depois que o ator foi detido no final de janeiro

EFE, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2017 | 08h58

O Museum of the Moving Image, em Nova York, anunciou nesta sexta-feira, 10, o fechamento de uma instalação artística feita pelo ator Shia LaBeouf contra o presidente de Estados Unidos, Donald Trump, depois do local se transformar em palco de frequentes episódios de violência.

"A instalação criava um risco sério e contínuo para a segurança pública, para o museu, para os visitantes, a equipe, moradores e comerciantes", afirmou em comunicado o Museum of the Moving Image, que fica no distrito do Queens.

De acordo com a direção do local, embora a exibição tivesse um intuito construtivo, sua ideia se deteriorou significativamente depois que LaBeouf foi detido no final de janeiro após se envolver em uma briga. Desde então, o museu sofreu dezenas de ameaças de violência e viu várias detenções, o que obrigou à Polícia a vigiar a instalação continuamente.

A instalação, chamada He will not divide us (Ele não vai nos dividir) foi aberta em 20 de janeiro, mesmo dia da posse de Trump, convidava o público a ficar de frente para uma câmera e falar o título da obra. A ideia do ator e seus colaboradores era que o vídeo fosse exibido ao vivo pela internet de forma ininterrupta durante os próximos quatro anos como símbolo de "resistência, oposição ou otimismo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.