Capela é obra-prima da arquitetura brasileira

ROCOCÓ MULATO: Em 1790, havia a unanimidade sobre o gênio criador de Aleijadinho, apelido carinhoso, apesar do significado da palavra, com que era conhecido o arquiteto e escultor Antônio Francisco Lisboa. Naquele ano, o vereador Joaquim José da Silva chamava-o de ''''o novo Praxisteles''''. Foi nosso herói filho do arquiteto português Manoel Francisco Lisboa e de uma negra escrava. Nasceu por volta de 1738 e, desde muito jovem, interessou-se pela arte, pela modelagem e pela escultura. (...) Aos 28 anos de idade, em 1766, ele projetou a capela dos Irmãos Terceiros de São Francisco, o edifício que nos leva a escrever estas linhas. Construção emblemática, no entanto. Obra-prima da arquitetura brasileira, em que os elementos de composição europeus e os estilemas, desde os do maneirismo até aqueles do barroco ou do rococó, se organizam num discurso no qual a sintaxe é absolutamente nova e em território bem definido. Pura invenção mulata, que durou pouco, no entanto; não porque tenha desagradado; ao contrário, cativou todos. Não chegou a identificar dez igrejas naqueles contrafortes da Serra da Mantiqueira. Isso certamente devido à pequena quantidade de profissionais envolvidos e ao declínio da liderança de Aleijadinho, cada vez produzindo com mais dificuldade devido ao progressivo agravamento de sua moléstia, até hoje não identificada com rigor científico. Esse rococó mulato alcançou os primeiros anos do século 19 e, quando o genial escultor morreu, em novembro de 1814, já era reconhecido como expressão superada.

O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2028 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.