Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Fender traz de volta a Telecaster Rosewood de George Harrison

Música

Fender traz de volta a Telecaster Rosewood de George Harrison

Cultura

Fender traz de volta a Telecaster Rosewood de George Harrison

A Fender, uma das mais famosas construtoras de guitarras, acaba de produzir cem clones da Telecaster Rosewood que George Harrison usou no álbum Let It Be e no último concerto da banda, no teto da Apple, em janeiro de 1969. A guitarra original foi emprestada à Fender por Dhani Harrison, filho de George. O instrumento foi desmontado, revirado, medido e replicado nos seus mínimos detalhes. Resta saber se algum exemplar chegará por aqui e a que preço.

Carlos de Oliveira

21 Março 2016 | 19h22

Se algum dia algum historiador da música decidir eleger um símbolo definitivo para o rock, a guitarra elétrica muito provavelmente será a escolhida. Nesse sentido, algumas guitarras são icônicas, para usar uma palavra da moda: Lucille, a Gibson 355 de B.B King; Number One, a Fender Stratocaster de Steve Ray Vaughan; Lucy, a Gibson Les Paul de George Harrison. Aliás, por falar em George Harrison, vamos logo ao tema desta semana: a Fender Telecaster construída especialmente para o beatle em 1969, a mais icônica das icônicas guitarras do rock. A madeira utilizada foi o rosewood, o nosso nacionalíssimo pau-rosa, hoje ameaçado de extinção.

A Fender Telecaster feita em rosewood (pau-rosa) feita especialmente pela Fender para George Harrison em 1969.

A Fender Telecaster feita em rosewood (pau-rosa) especialmente pela Fender para George Harrison em 1969.

Cem cópias – E o que pode haver de tão especial em uma guitarra? Afinal, todas seriam iguais. Que engano. Cada guitarra é única na construção, na madeira usada, no peso, no captadores, nos timbres, nos propósitos, mesmo que clonadas. E é de um clone que vamos tratar. A Fender acaba de construir cem cópias rigorosamente iguais à Telecaster de George Harrison. Para conseguir essa proeza, o mestre luthier Paul Waller teve acesso irrestrito à guitarra, graças a uma gentileza de Dhani Harrison, filho único e, ele mesmo, um clone de George.

Dhani Harrison, filho de George Harrison, e a Telecaster que pertenceu a seu pai.

Dhani Harrison, filho de George Harrison, e a Telecaster que pertenceu a seu pai.

Para entender o clone da guitarra, é preciso recuar um pouco no tempo e falar sobre o instrumento original. A ideia da Fender de construir uma guitarra em rosewood maciço nasceu em 1968. A empresa queria um produto novo e, numa jogada de marketing, decidiu construir dois protótipos: uma Telecaster para George Harrison e uma Stratocaster para Jimi Hendrix. Os Beatles e Hendrix estavam no auge da fama e o retorno para a Fender estaria praticamente garantido.

À perfeição – Phillip Kubicki era um jovem e talentoso luthier que trabalhava desde 1964 no departamento de pesquisa e desenvolvimento da Fender. “No outono de 1968 fui informado de que deveríamos construir essas guitarras especiais. Seriam, na verdade, quatro instrumentos. Duas Teles e duas Stratos. As melhores seriam enviadas aos músicos. Passei horas lixando os corpos até a perfeição. Uma fina camada de poliuretano foi aplicada em cada instrumento”, recorda-se Kubicki.

Como os Beatles iam entrar em estúdio para gravar um novo álbum, a construção da guitarra de George tornou-se uma prioridade na Fender. “A guitarra deveria ter um acetinado especial e, para tanto, o corpo e o braço do instrumento foram lixados novamente com lixa de areia de número 500, acompanhando os veios da madeira, até que essas superfícies ficassem absolutamente lisas. Em seguida, ela foi polida pacientemente com tecido muito fino, até ganhar brilho. A guitarra foi checada e rechecada, colocada em um estojo preto e encaminhada para o departamento de marketing da Fender, recebendo o número de série 235594. Nunca mais vi o instrumento, pelo menos pessoalmente”, disse Kubicki.

Em mãos – Enquanto o segundo protótipo da Telecaster era recolhido aos estoques da Fender, o modelo concluído foi enviado à sede da Apple, na Savile Row, 3, em Londres. Uma nota curiosa sobre essa viagem do instrumento: a guitarra ocupou uma poltrona como se fosse um passageiro, tendo na poltrona ao lado um funcionário da Fender, que a entregou em mãos, no dia 2 de janeiro de 1969.

Veja e ouça George Harrison tocando sua Fender Telecaster Rosewood no último concerto dos Beatles, realizado no teto da Apple, em 30 de janeiro de 1969:

George usou a guitarra em estúdio, nas gravações do álbum Let It be e no último concerto ao vivo dos Beatles, no teto da Apple. “Eu me lembro de quando vi a guitarra no filme Let It Be. Fiquei tão emocionado que quase pulei da minha poltrona no cinema”. Em dezembro do mesmo ano, George Harrison deu sua Telecaster de presente ao guitarrista Delaney Bramlett, do grupo Delaney & Bonnie And Friends, com quem também tocou Eric Clapton. Depois da morte de George, em 2001, um grupo de amigos comprou a Telecaster por cerca de US$ 500 mil e a deu à viúva do beatle, Olivia. Hoje ela integra a coleção de Dhani Harrison, guardião das guitarras que pertenceram a seu pai.

Veja o mestre luthier Paul Waller, da Fender, explicando o making of do clone da Telecaster de George Harrison:

O retorno – Agora, 47 anos depois, a Fender volta a produzir a mesma guitarra. Para isso, a Telecaster original foi desmontada, medida em cada detalhe, replicada na sua parte elétrica de modo a reproduzir o mesmo timbre exibido por George Harrison no filme Let It Be. Dhani Harrison diz que a Telecaster de seu pai é bastante pesada, “cerca de sete vezes mais do que uma Tele normal, mas, mesmo assim, hoje, é a minha guitarra preferida”.

abigail

Abigail Ybarra, que interrompeu sua aposentadoria para montar os captadores das novas Telecaster.

Os clones da guitarra de George têm captadores feitos pelas mãos da mestre Abigail Ybarra, responsável pela construção dos melhores captadores da Fender desde 1956, quando começou a trabalhar na empresa, levada pelas mãos do pioneiro Leo Fender, o criador das guitarras dessa marca. Para a execução desse projeto, Abigail quebrou sua aposentadoria e dedicou-se à construção dos pickups.

Pedigree – A parte mais difícil na confecção das cem unidades foi encontrar peças de rosewood o mais semelhantes possível à madeira do instrumento original. Potenciômetros e capacitores foram replicados nos mínimos detalhes e tudo leva a crer que a Telecaster Rosewood renasce em grande estilo. O preço de cada unidade não foi revelado. Se algum exemplar chegar ao Brasil, muito provavelmente seu preço alcançará a estratosfera, como sempre ocorre com guitarras de pedigree.

PS. Não se sabe a razão, mas a Fender Stratocaster feita de pau-rosa maciço especialmente para Jimi Hendrix jamais foi entregue. O instrumento foi concluído em abril de 1970. Hendrix morreria em Londres quatro meses depois. Essa guitarra está desaparecida até hoje.