Fender Stratocaster de Jimi Hendrix alcança preço estratosférico

Fender Stratocaster de Jimi Hendrix alcança preço estratosférico

Colecionadores de guitarras vivem momentos de grande expectativa. No próximo 1º de abril, em pleno dia da mentira, será realizado em Londres o leilão de uma guitarra Fender Stratocaster 1964, que pertenceu a Jimi Hendrix. O lance mínimo beira R$ 1 milhão, mas as previsões são de que o instrumento possa alcançar a cifra de R$ 3 milhões. A guitarra pertence a Leon Hendrix, irmão de Jimi, que está doente e precisa de dinheiro para se tratar. Quem arrisca um lance?

Carlos de Oliveira

27 Março 2015 | 12h41

Em tempos de dólar na estratosfera, só mesmo uma boa loucura justificaria um investimento na moeda americana. Mas como o mundo de hoje está suficientemente cheio de loucos, alguns endinheirados, é bem provável que eles se encontrem no próximo dia 1º de abril, não para celebrar o dia da mentira, mas para arriscar o lance de suas vidas: comprar a Fender Stratocaster 1964, com a qual Jimi Hendrix tocou nos primeiros meses de sua banda, a Jimi Hendrix Experience. Para isso, será preciso marcar presença no leilão que a Ted Owen & Co. promoverá em Londres, às 10h desse dia, e, claro, preparar um cheque de pelo menos 600 mil  libras esterlinas, equivalentes a cerca de US$ 900 mil ou um pouco mais de R$ 3 milhões.

Jimi Hendrix: gosto particular pela guitarras Fender Stratocaster.

Jimi Hendrix: gosto particular pelas guitarras Fender Stratocaster.

Investimento – Digamos que no dia do leilão o número de loucos não seja assim tão grande e que a guitarra saia pelo lance mínimo. Mesmo assim, o feliz proprietário terá de desembolsar nada menos do que 200 mil libras, cerca de US$ 300 mil ou mais ou menos R$ 1 milhão. Terá valido o investimento?

Como estamos tratando de loucos, a resposta será sempre positiva. Mais do que um simples instrumento, a Fender de Hendrix assume características de relíquia quase religiosa para os discípulos do maior guitarrista de todos os tempos. Talvez ela tenha poderes mágicos. Talvez encerre algum pacto. Talvez seja uma dessas muitas coisas que os loucos por guitarras adoram inventar.

Vibrações – Seja o que for, o fato é que, em si, ela é apenas uma guitarra de 51 anos. Até aí, tudo bem. Nenhum problema. Reza a lenda (e a prática também) que guitarras velhas são as melhores. Têm os melhores timbres, já que as madeiras estão totalmente secas, consolidadas, pouco sujeitas a deformidades. Vibram como varas de condão.

Loucuras à parte, as condições atuais do instrumento não são das melhores. Ele está machucado pelo tempo e pelo pouco apreço que Hendrix  tinha por suas guitarras. Basta lembrarmos o que ele fez com uma delas no Festival de Monterey, em junho de 1967.

Para quem não se recorda, sua guitarra (por sinal, uma outra Strato) foi imolada em uma ridícula fogueirinha alimentada pelo combustível que jorrava de uma não menos ridícula bisnaguinha de plástico que Hendrix, como um sacerdote enlouquecido, espremia. Há que se dar um desconto a isso tudo. Eram os anos 60. Era uma época de loucos.

A família Hendrix recebe Jimi no aeroporto de Seattle, em novembro de 1969: filho pródigo.

A família Hendrix recebe Jimi no aeroporto de Seattle, em novembro de 1968: filho pródigo.

Presente – De volta à guitarra, desde o dia 12 de fevereiro de 1968 ela pertence a Leon Hendrix, irmão de Jimi. Foi um presente que tem uma história. Vamos a ela. Jimi, um americano que fazia sucesso na Inglaterra, regressava à sua Seattle natal, onde faria um concerto na Seattle Center Arena. Orgulhosa do filho pródigo, a família foi recebê-lo no aeroporto da cidade.

hendrix-strat-in-casehendrix-strat-body-fronthendrix-strat-body-backhendrix-strat-headstock-back

A Fender Stratocaster 1964 de Jimmi Hendrix que irá a leilão no próximo dia 1º  em Londres: uma pequena fortuna.

A Fender Stratocaster 1964 de Jimi Hendrix que irá a leilão no próximo dia 1º, em Londres: uma pequena fortuna.

Depois da recepção, já durante os ensaios na Arena, Jimi perguntou se Leon ainda queria tocar com ele em sua banda. Tímido, Leon disse que sim.

Faltava apenas o essencial: aprender a tocar guitarra. Generoso, Jimi olhou em volta e uma das três Stratos que levara para Seattle estava no chão, dentro de seu estojo aberto. Era um instrumento na cor three tone sunburst, com quatro anos de uso.

Jimi:

_Você tem uma guitarra?

Leon:

_ Não.

Jimi:

_ Então, pegue essa para você. 

Leon:

_ Não sei, cara…

Jimi:

_ Vá em frente e pegue a guitarra. Você não tem que aprender a tocar agora. Você pode não quer, mas eu quero que você fique com ela.

Doente – Leon ficou com a guitarra e tocou durante muito tempo com ela. Hoje, com problemas de saúde, está precisando de dinheiro e quer vendê-la. Apesar de ser o único parente vivo de Jimi, por questões legais não viu um centavo do espólio do irmão, que morreu de overdose em Londres, em 18 de setembro de 1970, aos 28 anos.

Vamos ver quem será o louco endinheirado que ouvirá a martelada final do leiloeiro e se transformará no novo fiel depositário da guitarra de Jimi Hendrix. Que pelo menos faça bom uso dela e saiba respeitá-la.

Uma última coisa: se alguém quiser arriscar um lance via internet, basta acessar www.liveauctioneers.com e ir ao lote 125.

E boa sorte.