Teu destino

Teu destino

Oscar Quiroga

21 Setembro 2014 | 20h51

 

Às 12h54 de domingo 21-9-14 a Lua que mingua ingressou em Virgem e está em quadratura com Marte, oposição a Netuno, trígono com Plutão, sextil com Saturno e conjunção com Vênus até 9h15 de terça-feira 23-9-14, horário de Brasília. No mesmo período, Marte e Netuno em quadratura; Sol ingressa em Libra às 23h29 de segunda-feira 22-9-14, horário de Brasília.

Tu, por ser humano, aspiras íntima e seriamente à resolução do teu destino, independentemente de não teres a mais pálida ideia do que esse seja.

Seria melhor que soubesses, ou pelo menos que soubesses a razão de não saber. Afinal, é do teu destino que estamos falando!

Estás atrás de boas pistas, porém, e isso é um bom sinal. Reconheces que sobreviver não é suficiente, que gastar todo teu tempo competindo para dominar teu território e não ceder às invasões é desgastante. Saber disso é um ponto a favor de tua busca.

Também suspeitas que haja Algo Maior, e a isso chamas de espírito, um bom nome, mas que define muito pouco, na maior parte do tempo é uma palavra coringa que vem a tua boca na hora que tua alma fica curta em explicações.

Porém, sabes que precisas dar continuidade a algo, integrar-se a uma espécie de ordem, de inteligência, integrar-te à estética de um desenho inteligente que era muito antes de ti e que continuará sendo depois de tua presença ser apenas olvido.

Acontece, também, que essa integração a uma ordem maior não se processa natural e espontaneamente, já o tentaste assim e o único que conseguiste foi entrar no terreno da inércia e aí despertaste sobrevivendo e competindo por território, só isso.

Não! Essa integração à ordem maior precisa ser estudada e exercitada pela tua força de vontade, com toda disciplina, pois requer que se instale uma dinâmica de harmonia entre tuas atividades mundanas e outras, vamos aqui chamá-las de sagradas.

Essa dinâmica não se sustenta pela inércia, Tu precisas alimentá-la todos os dias, com decisões, processando-a entre distúrbios e sossegos e, ainda por cima, quando estiver minimamente sustentada te acontecerá de descobrir que o mundo em que viveste até então não aspira ao que é bom, sensato e belo, e que, no máximo, consegue tolerá-lo.

E é isso mesmo que te acontecerá, os que te conheciam anteriormente te estranharão e se afastarão de ti, alguns te criticarão e outros, com máxima piedade, te tratarão como alguém que pirou, mas te permitirão estar por aí, porque no fim, Tu serás boa gente.