Senhor e Senhora do destino

Senhor e Senhora do destino

Oscar Quiroga

14 Setembro 2014 | 03h26

 

Às 3h26 de domingo 14-9-14 a Lua ingressou em Gêmeos para cumprir sua fase QUARTO MINGUANTE em oposição a Marte, quadratura com Netuno e Vênus, sextil com Júpiter e Urano, e trígono com Mercúrio até 23h05 de segunda-feira 15-9-14, horário de Brasília. No mesmo período, Vênus e Plutão em trígono.

Quando penses nas coisas que puderam ser, mas não foram, em vez de te jogar nos braços de uma melancolia que só Tu entenderias e desfrutarias, porque não poderias compartilhá-la, faze em vez disso um inventário do que poderia ter sido senão tivesse acontecido aquilo.

Sei bem que esse inventário será em vão, porque o passado é de ferro e faz com que fracasses em todas tuas tentativas de mudá-lo, mas sei bem que há algo em ti que se rebela contra esse destino e se convence de poder mudá-lo. Lança-te, então, a essa tarefa a despeito de teres ou não sucesso nela!

Faze isso porque de todo modo tua imaginação está aí, disponível, e se não a conduzes ela funcionará igualmente, te sobressaltarás em algum momento ao te descobrires enxergando infinitos entre um carro e outro na rua, ouvirás o grito dos bárbaros ao ataque nos latidos de um cachorro ao longe, pressentirás o momento de atingir uma vitória descomunal ao chegar a tua hora na fila do caixa de um banco.

A realidade como ela é nem devia ser chamada de realidade, de tão insuportável que ela é, chata, tediosa e medíocre, e ainda pretendem que Tu te atenhas a ela o tempo todo, que te esqueças do que tua imaginação de informa.

Pois bem, que essa realidade pequena te sirva de montaria e sobre ela coloca a carga de teus devaneios, de tuas  loucuras, de teus delírios e elucubrações. Ela merece, está aí para isso e nossa humanidade a trata assim desde a aurora dos tempos. Por que Tu não o farias livremente?

Agora toma um gole de água fresca e sente o bálsamo desse movimento, que te abre os poros de dentro para fora, esse é o movimento que tua alma também quer fazer na direção do infinito, e nada, nada pode evitar isso, nem a teimosia da objetividade que supostamente te faz sentir em segurança, pois de todo modo, mesmo que recalques com eficiência teus devaneios, em algum momento te sobressaltarás novamente ao te descobrir imaginando coisas entre um objeto e outro.

E assim, de sobressalto em sobressalto, quem sabe esse destino sideral de coisas que foram, mas que poderiam ter sido outras, te liberte definitivamente e Tu te tornes senhor e senhora do teu próprio destino.