A Vida e a Forma

A Vida e a Forma

Oscar Quiroga

07 Setembro 2014 | 20h47

 

Às 20h47 de domingo 7-9-14 a Lua ingressou em Peixes para cumprir sua fase CHEIA em oposição a Vênus, conjunção com Netuno, sextil com Plutão, trígono com Saturno e Marte até 16h10 de terça-feira 9-9-14, horário de Brasília.

O sacrifício da Vida, onisciente, infinita e superior a quaisquer limitações, para se circunscrever a uma forma específica, seja a de uma galáxia ou a de um indivíduo como Tu, ou a de um átomo, esse sacrifício cria uma inércia, que Tu a reproduzes tentando encaixar tudo que te acontece e todos teus relacionamentos aos padrões que imaginas sejam a verdade absoluta, mas que são apenas limitações temporárias.

Aliás, sabes qual é o mistério da morte? Sabes o porquê de tudo terminar? Porque nenhuma forma é perfeita o suficiente para conter a Vida e, por isso, a Vida se encarrega de desintegrar essa forma para se libertar e demonstrar sua verdadeira natureza.

Enquanto isso, Tu tentas de todas as formas encaixar tudo que te acontece e tudo que pensas saber dentro de molduras que, pela própria natureza, se autodestruirão.

Aprisionar a realidade verdadeira para servir aos padrões, eis o movimento que emerge a todo momento e por todos os lados através de relacionamentos e mundos interiores e exteriores.

Em algum momento Tu compreenderás isso e, com espírito enfastiado, começarás a te movimentar na direção que a própria Vida determina, libertar-te, e no movimento de te libertares servires, venerares, colaborares e ocupares o lugar de coprotagonista do Universo.

Sentes as limitações? Sentes o constrangimento? Que bom! Começaste então a libertar-te!

Acusam-te de limitares, acusam-te de constrangeres? Que bom! Alguém te ama sem saber que te ama, indicando-te que tentas encaixar a Vida ilimitada em padrões e molduras que, necessariamente, conduzem à desintegração. E de tanto isso acontecer, em algum momento acontecerá a reviravolta, e te identificarás com a Vida, não mais com a forma.