As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

The Drums traz sonoridade tirada dos anos 80 ao Brasil

Daiane Oliveira

20 Outubro 2012 | 21h51

1_drums.jpg

Julio Maria – O Estado de S.Paulo

Foi como estar em uma das casas do Baixo Augusta. O público maior estava bem concentrado à frente do palco, deixando espaços bastante confortáveis ao fundo, quando o quinteto The Drums surgiu, pontualmente, às 20h45, no Palco Indie do Planeta Terra Festival. E assim, fez um show literalmente indie. Indie e cool.

Ao comando de Jonathan Pierce, os cinco rapazes do Brooklin, nos Estados Unidos, trouxeram suas sonoridades tiradas da segunda metade dos anos 80, com muito climão de guitarras arpegadas, baterias sempre mais graves que o normal, de muito bumbo e tambor, e teclados dando liga.

Parecia que todos os fãs da banda estavam no Jockey. Não eram muitos, mas se portavam fiéis e solidários, cantando quando estimulados, dançando e fazendo olhares fofos mesmo diante de uma certa frieza que se sentia do palco.

Jonathan dança como um boneco de Olinda, atrai todos os olhares para si, mas canta tudo com a mesma intenção, como se seu repertório fosse uma mesma música. Quando o baixista troca o baixo por uma guitarra, uma programação faz a linha do baixo sair fantasmagoricamente do bumbo da bateria, como se estivesse sincronizada com a bateria de Danny Allen. Virou apenas boa diversão, talvez a única pretensão de uma banda como o Drums.

Confira o repertório do show:

What You Were
Best Friend
Me And The Moon
If He Likes It Let Him Do It
Book Of Stories
Money
Baby, That’s Not The Point
I Need Fun In My Life
I Need A Doctor
Forever And Ever Amen
Days
How It Ended
I Felt Stupid
Let’s Go Surfing
Down By The Water

Mais conteúdo sobre:

The Drums