1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Após briga, Nick Carter, do Backstreet Boys, fará serviços comunitários

O Estado de São Paulo

29 março 2016 | 17:06

O cantor Nick Carter, do Backstreet Boys, cumprirá 25 horas de serviços comunitários como punição por uma briga que protagonizou em janeiro em um bar de Key West, na Flórida, Estados Unidos, informa a imprensa local nesta terça-feira (29).

O portal KeysINfoNet acrescentou que, em virtude do acordo, Carter ficará sob supervisão judicial durante seis meses e pagará todos os custos do processo, que somam pouco mais de US$ 300.

O julgamento do cantor de 36 anos estava marcado para esta segunda-feira (28) em Key West, mas não foi cancelado porque na semana passada foi selado o acordo com a promotora Catherine Vogel. O acordo prevê retirada das acusações, com o consentimento das duas pessoas que processaram Carter por agressão.

nick_535
Michael Papayans, de 27 anos, amigo de Carter, aguarda julgamento pela mesma briga. Segundo informou a polícia de Key West, os dois chegaram embriagados em um bar da cidade decididos a continuar bebendo, mas os funcionários do local se negaram a servi-los. Os atendentes pediram que os dois se retirassem, mas como o cantor e o amigo não saíram por vontade própria, foram retirados do local. Fora do recinto, agrediram um garçom, Skylar Cardem, e o gerente do bar, Matthew Stecher.

Veja mais
Backstreet Boys farão 5 shows no Brasil

Em 1º de abril estreia no canal Syfy o filme “Dead 7”, que tem roteiro de Carter. Ele também atua no filme, junto com sua esposa, Lauren Kitt, e A.J. Mclean, outro integrante do Backstreet Boys. (EFE)