Saulo Duarte, da Unidade, dedilha sua entrada pela carreira solo; ouça ‘Abrecaminho’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saulo Duarte, da Unidade, dedilha sua entrada pela carreira solo; ouça ‘Abrecaminho’

Pedro Antunes

16 Outubro 2017 | 09h00

Saulo Duarte está sem a Unidade.

A banda com a qual lançou o terceiro disco, o ótimo Cine Ruptura, em 2016, está na ativa, mas Saulo também abre um novo caminho.

Saulo Duarte (Foto: Paola Alfamor)

Desbrava, sozinho, o que é ser artista solo.

Dedilha seu violão, acelera o passo, corre para descobrir o que há do outro lado.

Assim o faz com Abrecaminho, o segundo single desta novíssima fase da carreira, uma parceria com Daniel Medina, lançada com exclusividade aqui no blog Outra Coisa (ouça a canção no player abaixo).

É uma canção que se embeleza pela nudez com a qual se apresenta. Voz, violão, os versos sobre o caminho. Como trovador, como cantautor, Saulo Duarte está despido de apoios sonoros. Com o instrumento no colo, ele reflete.

Olha para dentro e para fora, para si e para o que há diante dele.

É o caminho.

O belo de Abrecaminho também está na imagem, na solidão de um artista a observar quem foi, quem vai ser. Nesse microcosmos próprio, passado e futuro se encontram em um presente ainda desconhecido, a ser desbravado.

É diferente de O Lance, o primeiro single, mais pop, mais vestido, no qual Saulo está olhando para fora, para o mundo, para gente, para amores.

Ouça O Lance: 

Saulo Duarte, em Abrecaminho, deixa o mundo de lado por um breve momento. Aqui, ao completar 10 anos de carreira, ele para. Pede um tempo. Respira. Coloca o violão para ditar seu passo, o ritmo.

São passos firmes. Sempre em frente.

Sem a Unidade, banda eleita como melhor grupo no Prêmio da Música Brasileira neste ano, ele tem a liberdade estética de seguir para onde quiser.

E reflete sobre caminhos. Brinca com palavras, une “caminho”, “caminhão”, “caminhar”. Ao seguir por “descaminhos”, sabe que não estará sozinho, outros caminhos se cruzarão com o dele, o acompanharão por algum tempo.

A poesia está em um estado mais puro, no encontro das cordas (as vocais e do violão), na introspecção.

Trata-se de uma ode à liberdade. Por vezes, ao olhar para dentro, para desalinhos e descaminhos, encontra-se a saída.

Saulo Duarte encontrou a dele.

Ouça Abrecaminho:

A estreia solo irá ocorrer, de fato, com disco e tudo, no primeiro semestre de 2018.

Nesta segunda-feira, 16, Saulo segue com o projeto Segundamente, no qual o artista é chamado para realizar quatro shows na casa Centro da Terra (R. Piracuama, 19 – Vila Pompeia). Duas já foram, restam mais duas, sempre às segundas. O show tem início às 20h.