Kill Moves absorve referências a partir do rock dos anos 1980 para criar atmosfera densa com a guitarra no talo; ouça o EP ‘Transition’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kill Moves absorve referências a partir do rock dos anos 1980 para criar atmosfera densa com a guitarra no talo; ouça o EP ‘Transition’

Pedro Antunes

05 Dezembro 2017 | 10h22

São poucas as informações disponíveis sobre o Kill Moves, nova banda a ingressar no casting dos Balaclava Records, o selo cool paulistano que irá trazer, em fevereiro, o Primal Scream para o Brasil.

Kill Moves (Foto: Igor Benkö)

São quatro integrantes –  Vitor Jabour (voz e guitarra), Estevão Maldonado (baixo), Adolfo Lothar (guitarra) e Yago Phelipe (bateria) -, vindos de Belo Horizonte e com um EP já lançado, disponível no Bandcamp dos caras.

Talvez seja um mistério proposital (ou talvez não, risos), mas é até mais interessante assim.
O que importa é que o Kill Moves se apresenta pela música que produz.


Pela densidade.
Pelo mergulho nessa massa sonora, de guitarra e baixo com o volume no talo.
Pelos vocais dobrados no segundo plano, como coadjuvantes, não protagonistas.

É desta forma que o Kill Moves estreia na Balaclava Records, com o novíssimo EP Transition, lançado com exclusividade aqui no blog.

Kill Moves (Foto: Igor Benkö)

Com três músicas, a banda prepara o salto. É uma imersão, um convite para deslizar por um tobogã até a chegada nessa piscina de substância morna, espessa, gelatinosa. E ali ficamos, flutuando.

Celebrate, Down With Me e Godspeed trazem ecos do rock surgido a partir dos anos 1980, com o shoegaze, com a visceralidade do punk e os vocais cheios de angústias.

O clipe de Godspeed foi lançado pelo blog Popload, do colega Lucio Ribeiro, e pode ser assistido abaixo:

A banda se descreve desta forma: “música surreal feita por pessoas ordinárias (ou vice versa)”.

E talvez seja por aí, mesmo.

O Kill Moves terá uma agenda agitada nos próximos dias. A partir de quinta-feira, 7,eles se apresentam no Teatro Odisseia, no Rio, e seguem para dois shows em São Paulo, na Breve, na sexta, 8, e no Fabrique Club, no sábado, 9. Por fim, tocam no John Bull, em Curitiba, no domingo, 10. Fique ligado nos shows dos rapazes pelo Facebook da banda.

A apresentação de sábado, na Breve, integra a programação da incrível SIM São Paulo (a Semana Internacional de Música). Na Noite Balaclava + Quebec, eles tocam ao lado de Mannequin Trees, Nuven e dos canadenses do Kroy e We Are Wolves.

Ouça Transition, o EP do Kill Moves:

O autor do blog também criou o Tem um Gato na Minha Vitrola, um programa sobre música nos stories do Instagram. Siga o TUGNMV nas redes sociais e não perca um episódio: Instagram, Facebook e YouTube.