Don L libera guia com beat do produtor Flume; ouça ‘Ipanema B…’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Don L libera guia com beat do produtor Flume; ouça ‘Ipanema B…’

Pedro Antunes

07 Março 2018 | 10h45

Don L é malícia.
Don L é “dono dos bons rap”.
Don L é a perversão, a angústia, o calor e a praia do Rio de Janeiro. É ode, por vezes às avessas, ao Ri ode Janeiro, num emaranhado de rimas venenosas, ávidas, ácidas.

Em Ipanema B…, nova guia lançada em primeira mão no blog, o rapper é enfeitiçado pela cidade, enebriado pelo salgado do mar e impactado pela cultura do consumo fora dele.

Rapper Don L (Foto: Larissa Zaidan)

A guia é produzida pelo próprio Don L, com um beat criado por Flume, produtor australiano com gosto por mergulhar em batidas tortuosos e com trabalhos ao lado de nomes do pop como AlunaGeorge e Lorde.

O sample de Flume funciona como a areia fofa da praia. Quente, calorento, irregular, de tirar o fôlego. Por ele, Don L caminha sem perder o ar, mas com o suor escorrendo pelas têmporas.

+++ Crítica: rapper Don L cria, em disco, roteiro para um filme de desamores, desilusões e doses de gim

Ácido e irônico, o rapper encontra uma nova musa de Ipanema, tal qual Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Mas os tempos são outros.

Não estamos mais no início da década de 1960, não existe mais a “garota”, o amor deixou de ser platônico pela nova Helô Pinheiro.

O tempo da inocência já passou. A garota agora é mulher. O amor agora é carnal. Na Ipanema de Don L, contemporânea e cruel, elas usam roupas da Farm. Tempos de grana, cruéis, e do falso glamour.

Rapper Don L (Foto: Larissa Zaidan)

A Ipanema agora é beach ou bitch, quem interpreta é o ouvinte.

Don L, afinal, não é de entregar tudo nas primeiras audições. Tem texto e subtexto, como se ouviu em Roteiro Pra Aïnouz, Vol. 3.

A faixa, aliás, é de uma safra anterior ao álbum de estreia do rapper, lançada nesta quarta-feira, 7, para celebrar o show de lançamento de RPAV3 no Rio de Janeiro, neste sábado, 10, no Circo Voador, em uma noite de dois shows, de Don L e do também rapper Baco Exu do Blues (mais informações no fim do texto).

+++ Siga o autor e conheça o ‘Tem um Gato na Minha Vitrola’, um programa de música feito diretamente nos stories do Instagram

Exu do Blues lançou, depois de Esú, disco do ano passado, duas canções, tal qual Don L. São elas: Fação Carinhosa e Sinfonia do Adeus.

Don L colocou na rua Verso Livre Nº 2, que pode ser ouvida abaixo, e, agora, Ipanema B….

Mesmo anterior a RPAv3,  a composição mostra Don L na posição de observador inquieto, um forasteiro, tal qual o personagem retratado no álbum lançado no ano passado.

A narrativa, em Ipanema B…, coloca o ouvinte novamente no lugar do espectador. Geograficamente a 600 Km da São Paulo de Roteiro Pra Aïnouz, Vol. 3, o Rio de Janeiro é o cenário para a canção, como um prólogo, um episódio isolado com o mesmo personagem do álbum.

A fervura já estava dentro dele, borbulhando, a espera para transbordar. E transbordou. Afinal, o fim da história a gente já sabe. Aos poucos, Don L nos apresenta ao que antecedeu a Eu Não Te Amo, a primeira e desiludida faixa de Roteiro Pra Aïnouz, Vol. 3. 

Dois protagonistas do tal ano lírico do rap nacional em 2017, Exu do Blues e Don L apresentam no Circo Voador seus discos que estrelaram as listas de melhores álbuns do ano passado neste sábado, 10. Noite imperdível. O evento do Facebook está aqui e é possível comprar os ingressos aqui.

Ouça Ipanema B…, nova guia do Don L e, abaixo, a letra:

Ipanema B…, por Don L:

“Ah tinha que ser mei João Gilberto..
Mei Tom Jobim tipo… lararará
Não!

Ipanema…
Num é pra quem quer / é daquelas
nem nota quem é / puro ego / tão foda em ser sexy
Se eu te pego
É, vai ser o meu cep certo ? / e aí sim né ? / olha pro cara certo
Sei q cê teve ex tipo johnny depp
Mas agora é o L / dono dos bons raps
Prazer em conhecer / feeling de bom sexo, ein ?
Killa do stress eu te quero de doggystyle
Ah, fica de topless / preciso ver a praia
Gostosa de concreto / mar e bons pratos
Ilícitos contratos / ela é malvada

Pedra portuguesa / eu te saco bem
Cara de princesa / e bandidagem além
Rival de Veneza / cê me seduziu de água má do rio que chapa como gin
Te deixa como ?
Vai ter que valer por três / podendo tipo trampar 1 dia e folgar um mês
E faz muito sentido pra mim que trampei uns ano
E folguei nem um dia / se a rima me der um break
E virar um dinheiro
Agora os guerreiro vem / vo chamar os parceiro e contar plaquê de cem
Paga pau de ninguém / eu ela e meus chapa
Mandando nas área e ninguém vai meter a cara

Ipanema beach
Brisa maravilha me ligou
E me seduziu
Deusa da malícia do rio

Ipanema bitch me diz meu amor
Quem é que manda memo ? quem te conquistou?
Já faz um bom tempo e o sexo ainda é bom?
Humm… me parece que não tão metendo certo, ein?
Sei que cê num tem coração
Cê ama a grana e vem fazer a sua especulação
Se eu fecho com o lobato, se eu fecho com a paula
Se eu fiz um bom trato / se as mina tão de farm
Ok bitch / um Camaro e uns peixe, diz
Se nessa companhia eu fico em alguma blitz
Com as verde ou tô mais Hulk que o Luciano
Putz eu tô em transe
É eu amo quando cê me chupa! eu tô entrando!
Na cidade q tem a bunda mais pá
O glamour Ciccarelli e as arma mais charme
É, a miséria mais cara
E eu daria o Guiness pro estado que tem os cana mais mala

Ipanema beach
Brisa maravilha me ligou
E me seduziu
Deusa da malícia do Rio”