Brunno Monteiro esmiúça a dor da culpa em clipe com Luiza Lian e Camila Garófalo; assista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brunno Monteiro esmiúça a dor da culpa em clipe com Luiza Lian e Camila Garófalo; assista

Pedro Antunes

19 Outubro 2017 | 10h21

Qual é o limite da culpa?
Se é que existe um fim, um ponto final, ou algo parecido.

Brunno Monteiro e Luiza Lian no clipe de Café Pedra de Gelo (Foto: Reprodução)

O relógio gira, os ponteiros se movem, o sol nasce e se põe. Dias, semanas, quinzenas, meses, bimestres, trimestres, semestres, anos, biênios, décadas.

O ato pelo qual se culpa se distancia, corre-se dele. Mas sua gravidade é inversa, quando mais distante, mais forte se torna – e, por essa, Issac Newton não esperava.

Entorpece, adoenta. 

Brunno Monteiro, artista dos mais cool do underground carioca, esmiuça essa dor. Em Café Pedra de Gelo – cujo novíssimo clipe lançado com exclusividade no blog Outra Coisa pode ser assistido aqui – ele revisita o passado.

As cenas lhe correm em frente aos olhos, como se a memória funcionasse como um projetor de filme de rolo e o passado fosse exibido em frente aos seus olhos.

De voz trêmula, quase chorosa, ele procura pelo o que não está mais lá. Busca a escova de dentes de quem não está mais lá. Os cabelos já não enchem o ralo do banheiro.

E o café, antes quente, esfria.

Monteiro está perdido no buraco temporal onde seu corpo está no presente, o coração bate no aqui e agora, mas a mente, não. Está distante.

A canção integra o segundo disco dele, chamado Duplo,  lançado em duas partes, no fim do ano passado. Como Lado A e Lado B – Café Pedra de Gelo, criada em parceria com Rabujah, integra a primeira parte do disco.

É um single, sem ter jeitão de single. É perturbador. O canto de Monteiro, frágil, vai fundo. Sofre ele, sofro eu, sofremos todos. Sua voz desenha o cenário, enquanto os dois violinos e o violoncelo acalantam e esbofeteiam, num jogo de morde e assopra desconcertante.

 

Também músico, Marcelo Perdido dá vida à dor no videoclipe. E ele fere também. No vídeo, Luiza Lian, ótima artista paulistana, e Monteiro dividem a casa. Ela é a captora e ele, o prisioneiro. Num jogo de transferência de culpa e troca de dores, Luiza transforma as lágrimas de uma perda em raiva, enquanto Monteiro converte a culpa em lágrimas e desespero.

Erram ambos. O passado lá atrás ficou. Não há nada a ser feito. Mas são puxados para ele, mesmo assim. Impassíveis diante dessa força gravitacional, sucumbem. Perdem o contato com o presente. Desperdiçam o futuro.

O vídeo também tem participação de Camila Garófalo, mas dizer algo além disso estraga a experiência e o impacto do trabalho. É melhor assim, assistir no escuro.

Confira:

Monteiro fará dois shows para celebrar o lançamento do clipe de Café Pedra de Gelo, um em São Paulo, na Casa do Mancha, nesta quinta-feira, 19, e outro no Rio de Janeiro, em Na Banca Sem Banca, na sexta, 20.

Brunno Monteiro  @ Caso do Mancha
R. Felipe de Alcaçova, s/n, Pinheiros – São Paulo
Quinta-feira, 19 de outubro , às 20h
R$25 (ingressos antecipados aqui)

Brunno Monteiro @ Na Banca Sem Banca
Banca Agreste Carioca, Campo de São Cristóvão, S/N – São Cristóvão, Rio de Janeiro
Sexta-feira, 20 de outubro, às 20h
Aberto ao público