Schwarzenegger chega aos 70 em meio à tragédia, da boa

Schwarzenegger chega aos 70 em meio à tragédia, da boa

Rodrigo Fonseca

01 Agosto 2017 | 20h31

Rodrigo Fonseca
Foi um sucesso a projeção de Rota de Fuga (2013) na Tela Quente na última segunda, o que reitera a popularidade de Sylvester Stallone e de Arnold Schwarzenegger entre os espectadores brasileiros. Sly anda bem na fita, com vaga nos filmes na Marvel (ele é Stakar em Guardiões da Galáxia), proposta para viver Rocky Balboa de novo (Creed II)  e projetos de direção. Já Arnoldão não teve a mesma sorte, em função dos desafetos que arrumou em sua gestão como governator na Califórnia. Nada do que ele lança tem o mesmo destaque, no circuito americano, o impacto de que desfrutava nos anos 1980 e 90. Basta ver que o burburinho na Europa em torno do lançamento da versão 3D de Exterminador do Futuro 2 – no último Festival de Berlim, em fevereiro – foi maior do que o de muitos de seus longas recentes. Mas há um filme inusitado em seu currículo, previsto para checar ao Brasil em setembro pela H2O, que nos prova o quanto o ator austríaco (naturalizado americano) depurou seu talento dramático ao se encaminhar para a casa dos septuagenários: o drama Em Busca da Vingança (Aftermath). Dirigido pelo ótimo Elliott Lester, realizador de tintas autorais soturnas, conhecido aqui pelo thriller Blitz (2011), este longa-metragem de US$ 10,5 milhões põe Schwarzenegger como Roman, um imigrante eslavo que perdeu mulher e filha (esta grávida de seu neto) em um desastre aéreo: a colisão de dois aviões.

Grisalho, gutural, porém mais evoluído em seus dotes dramáticos, um septuagenário Arnold Schwarzenegger vive um operário às voltas com a morte da mulher e da filha no drama com tintas de suspense “Em Busca de Vingança”

De doer na alma, a trama é baseada no choque entre as aeronaves Bashkirian Airlines Flight 2937 e DHL Flight 611, em Überlingen, na Alemanha, em 2002. No enredo, os veículos se impactam em decorrência da falha de um controlador de voo, Jake (Scoot McNairy). N’algum momento, Roman quererá vingança contra Jake. Mas não estamos diante de um filme de ação típico do astro e sim de uma tragédia dolorosa, sobre o limite no qual catarses não são possíveis. As filmagens se deram em Ohio, sob a luz bruxuleante do fotógrafo Pieter Vermeer (parceiro de Peter Greenaway em O Cozinheiro, o Ladrão, a Mulher e Seu Amante). O produtor foi Darren Aronofsky, diretor de Pi (1998), que disputará agora o Leão de Ouro de Veneza com mother!.