Oscarito mineiro anima os palcos de BH

Oscarito mineiro anima os palcos de BH

Rodrigo Fonseca

18 Janeiro 2016 | 12h50

“Como Sobreviver em Festas…”: chanchada com torresmo

Ok… o título sugere teatro classe Z. A foto amplifica essa sensação. Mas a peça Como Sobreviver em Festas e Recepções com Bufê Escasso, em cartaz neste fim de semana em Belo Horizonte, é um achado do riso, daqueles de retesar o abdômen e arrancar gargalhadas aos quilos em um formato de Telecurso 2º Grau aplicado a problemas do dia a dia. Numa atuação primorosa, que demonstra domino pleno dos códigos do fazer rir, o ator Carlos Nunes (mistura de Oscarito com Steve Martin) dribla o mau humor nosso do dia a dia ao lecionar dicas de como se comportar em cerimônias nas quais a comida é o motivo maior de comemoração. É um filme pronto para quem está a cata de ideias cômicas para longas-metragens fast food. É guloseima que não dá azia.

Com inspiração no sucesso editorial Manual de Sobrevivência em Recepções e Coquetéis com Buffet Escasso, do mineiro Ângelo Machado, o espetáculo explica como lidar com liturgias matrimoniais e mesmo funerais. O ápice está nas cenas em que Nunes mostra como se comportam dois tipos de chatos: a) o expansivo, gritador e cheio de amizade para dar; b) o introspectivo, que nada diz, mas incomoda só com seu silêncio. Tem piadas de muita mineirice. Mas, no conjunto, os diálogos cumprem com eficácia plena sua missão de deixar gargalhar. E Nunes é um humorista de tarimba.

A peça está no Teatro Bradesco e faz parte de um projeto de popularização das artes cênicas em BH, incluindo ainda o sucesso LGBT Acredite… Um Espírito Baixou em Mim, um Ghost gay já levado às telonas.