Mario Jorge cacareja invenção em ‘Pedro Coelho’

Mario Jorge cacareja invenção em ‘Pedro Coelho’

Rodrigo Fonseca

30 Março 2018 | 01h07

Mario Jorge dubla o galo de “Pedro Coelho”

Rodrigo Fonseca
Adaptado da literatura infantil de Beatrix Potter, o delicioso combo de animação e live action Pedro Coelho (Peter Rabbit) conta com uma série de animais encantados a seu dispor (e ao nosso deleite), a começar pelo lagomorfo do título. Mas nenhum animalzinho brilha mais do que um galo afetadíssimo que se assusta com o Sol em diferentes sequências desta produção pilotada pelo diretor Will Gluck (de Annie e A Mentira). Lá fora, a voz da ave foi confiada ao técnico de efeitos visuais do longa-metragem, Will Reichelt. Mas, no Brasil, a dublagem teve a feliz ideia de escalar um de nossos mais criativos atores para o “papel”: Mario Jorge, que fez do Burro Falante de Shrek um personagem antológico. Não há filme em que o vozeirão de Zé Pilintra deste dublador genial não se faça notar, sobretudo na boca de Eddie Murphy e de John Travolta, seus dois “bonecos” mais usuais. Fora que ele foi o Eric de Caverna do Dragão e o Gorpo de He-Man, brilhando hoje no desenho Titio Avô. Mario Jorge integra uma casta de “atores em dublagem” que “alfabetizou” gerações de brasileiros com suas rubricas autorais ao verter textos do Inglês para o Português. Seu desempenho como Tony Manero em Embalos de Sábado à Noite (1977) é um exercício de atuação refinadíssimo.