‘Ex-Pajé’ leva dilemas tribais ao É Tudo Verdade

‘Ex-Pajé’ leva dilemas tribais ao É Tudo Verdade

Rodrigo Fonseca

20 Março 2018 | 11h33

Rodrigo Fonseca
Laureado na Berlinale com uma menção honrosa dada pelo júri de documentários do festival alemão, Ex-Pajé, de Luiz Bologensi, vai fazer sua estreia brasileira no É Tudo Verdade (12 a 22 de abril), levando para a maior maratona do Real do cinema nacional um olhar sobre a erosão das tribos indígenas do Brasil. Num gesto simbólico, sua exibição está marcada para 19 de abril, Dia do Índio.

“O cerne do filme é identidade cultural e etnocídio, entendido aqui como a morte de uma cultura. Há um etnocídio de diversos povos indígenas da América Latina com a chegada da Igreja Evangélica. É um novo momento de um fluxo que começa no século XVI e que tem, agora, um recrudescimento”, explica Bolognesi ao P de Pop.

Num mergulho na Amazônia, ele documentou a realidade dos Paiter Suruí, a partir da jornada existencial de Perpera, um ex-sacerdote de sua tribo, convertido ao cristianismo, mas ciente do sucateamento de suas tradições. O filme entra em cartaz no dia 26.