Dose dupla de Brasil no Festival de San Sebastián

Dose dupla de Brasil no Festival de San Sebastián

Rodrigo Fonseca

03 Agosto 2017 | 09h46

“No Intenso Agora”: flashes de 1968

Rodrigo Fonseca
Duas produções com o Brasil no DNA, ambas exibidas (e aclamadas) na Berlinale, em fevereiro, já estão confirmadas para o 65º Festival de San Sebastián (22 a 30 de setembro): o documentário No Intenso Agora, de João Moreira Salles, e a love story de língua inglesa ambientada na Itália Call Me By Your Name, de Luca Guadagnino. O filme de Salles – que traça um painel político do mundo em 1968, trançando arquivos de passeatas, protestos e debates com imagens filmadas pela mãe do diretor na China – integra a mostra paralela (porém competitiva) Zabaltegi-Tabakalera. Na abertura desta, será projetado o filme ganhador da Palma de Ouro de Cannes: a comédia sueca The Square, de Ruben Östlund.

Armie Hammer ensaia com o diretor Luca Guadagnino em “Call Me By Your Name”

Já o filme de Guadagnino (uma love story LGBT, que tem a paulista RT Features, de Rodrigo Teixeira, entre suas produtoras), vai para a seleção Perlas – coalhada de longas-metragens com perfil de Oscar. Trata-se de um romance gay entre um adolescente e um homem de 20 e poucos anos (Armie Hammer, numa atuação surpreendente) em solo italiano, enquanto a família do garoto não desconfia do que se passa entre os dois.

“On Body and Soul”, de Ildikó Enyedi: Urso de Ouro em Berlim

Ao lado do filme da RT, estarão dramas laureados mundialmente como On Body And Soul, da húngara Ildikó Enyedi (ganhador do Urso de Ouro de Berlim); 120 Batimentos Por Minuto, de Robin Campillo (Grande Prêmio do Júri de Cannes), e Loveless, do russo Andrey Zvyagintsev (Prêmio do Júri na Croisette). Para fechar o time das Perlas, San Sebastián escalou Loving Pablo, de Fernando León de Aronoa, com o casal Javier Bardem e Penélope Cruz.

 

No pacote onde entrou o filme de Salles, está L’Amant d’un Jour, o novo drama de amor pilotado pelo mestre francês Philippe Garrel. Ao lado dele vem o tenso longa russo Closeness, de Kantemir Balagov, premiado em Cannes com a láurea da Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica (Fipresci) 

Alicia Vikander e James McAvoy encaram o amor e a desilusão em “Submergence”

Para sua sessão de abertura, San Sebastián terá Submersão (Submergence), de Wim Wenders, um dos filme de amor mais esperados do ano, graças ao carisma de seu casal central: Alicia Vikander (Ex-Machina) e James McAvoy (Fragmentado).