SOS Tablado

SOS Tablado

Marcelo Rubens Paiva

26 Março 2018 | 11h20

 

Tablado é sinônimo de teatro de alto nível.

Ter em seu currículo o diploma do Tablado emenda a uma atriz ou ator prêmio de excelência.

Sem fins lucrativos e sem apoio, numa cidade falida, a hoje associação, depois de passar por um processo de gestão fraudulenta, pede socorro.

Sua escola formou mais de cinco mil atores, que estudaram com a própria Maria Clara e surfam na nata da TV, cinema e teatro brasileiro, como Andréa Beltrão, Cláudia Abreu, Felipe Camargo, Malu Mader e Marcelo Serrado, da chamada geração Anos Dourados e Anos Rebeldes, séries da Globo que revelaram uma leva enorme de excelentes atores.

 

 

Drica Moraes, Fernando Caruso, Guilherme Fontes, Leandro Hassum, Leonardo Bricio, Louise Cardoso, Luísa Thiré, Marieta Severo e Rubens Correa, Miguel Falabella, Sophie Charlotte vieram de lá.

Como o super diretor Guel Arraes.

Até o dono de escola de teatro, Wolf Maia, e o comediante Marcelo Adnet vieram de lá.

Fundada em 1951 no Rio de Janeiro por Maria Clara Machado, funcionava num galpão da Gávea em que o público usava bancos para se sentar. Depois se fixou numa sede na Lagoa e abriu uma segunda Na Barra, na Cidade das Artes.

Pluft, o Fantasminho foi a peça de 1955 que fez do grupo amador dos mais premiados do país.

 

A associação mandou a carta:

 

O Tablado foi fundado e se mantém até hoje sobre os principais pilares do teatro amador: trabalho em grupo e amor ao teatro. Somos uma associação sem fins lucrativos, portanto, a receita das nossas bilheterias é revertida para a montagem do espetáculo seguinte. São muitos os desafios que enfrentamos para garantir a manutenção deste teatro e o legado inestimável de Maria Clara Machado.

Agora, aos 67 anos, O Tablado não conta com nenhum apoio, seja ele público ou privado. Isto se deve, em parte, à falta de uma política cultural efetiva voltada para crianças e adolescentes.

As portas do Tablado são abertas a todos que queiram aprender, criar, somar, colaborar. É um lugar que valoriza a amizade, a ética, o respeito e a arte. Porém, recentemente, devido a ações desleais de uma pessoa que considerávamos dignas de nossa confiança, sofremos sérios prejuízos.

Por conta disso, o Teatro O Tablado se encontra hoje em uma situação financeira grave que ameaça a sua continuidade. Reunimos forças e criamos estratégias para juntos conseguirmos superar e sairmos mais fortes desta experiência. Convidamos você, amigo do Tablado, a se unir a nós através da Campanha S.O.S. O Tablado que realizará 2 sessões beneficentes do infantil “O Camaleão e as batatas mágicas”, de Maria Clara Machado.

 

Dia 21/04, às 17 horas

Dia 22/04, às 17 horas

Colaboração: R$ 200,00  (um ingresso)

 

 

Formas de adquirir seu ingresso:

 

  • No Tablado

Com Cris Chevriet, de segunda a sexta de 14h às 19h, em dinheiro ou cheque.

 

  • Depósito na conta do Tablado

 

Banco Bradesco

Teatro Amador O Tablado

CNPJ: 03.393.2039/0001-04

 

Agencia: 1444

Conta corrente: 0027505-0