Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » não existe amor em SP; especialmente na hora de coligar

Cultura

Marcelo Rubens Paiva

08 Outubro 2012 | 17h54

Meu pai deve estar sorrindo, afinal ajudou a fundar o PSB com o acadêmico, professor Antonio Candido [ele mesmo]. Sem contar que o neto do amigo dele Miguel Arraes comanda o partido que foi a sensação ontem no País e que, piada dos amigos dele, cabia numa Kombi; antes da ditadura que os cassou.

PMDB caiu 15% em número de prefeituras em relação a 2008.

PT cresceu 14%.

PSB cresceu 51% no total de votos e 41% no total de prefeituras.

PSDB será o grande derrotado? Elegeu 13% menos prefeitos que em 2008. Em todo o País o número de eleitores do PSDB caiu 4%.

Prato cheio para analistas políticos: onde o PSDB teria errado?

Palpite: diferentemente de outros partidos, não criou nem deu espaço a novos quadros.

O PSDB estagnou em Aécio, Alvaro Dias, Serra, Alckmin e Jereissat. O PT criou Dilma, Haddad, o PMDB, Paes. O PSB então… É uma chocadeira.

Bem, ainda tem o segundo turno que pode reescrever a história.

E o PSDB tem grandes disputas, especialmente no Norte.

Sem dúvida, Chalita emplacou, tem carisma e foi 1 dos grandes destaques da eleição de São Paulo. Sem contar que tem o PMDBezão por trás. Veio pra ficar

Chalita e Fruet, surpresa em Curitiba, são 2 quadros que o PSDB não impediu de partirem. Como um marido prepotente

Hora de conferir o que indicavam os institutos de pesquisa. Galera de Curitiba nunca mais confiará num. Erraram feio.

O Ibope errou a pesquisa de boca de urna em 8 de 11 capitais que pesquisou.

Surpresa também na Bahia, com ACM Neto superando o candidato do PT e do governador. Que discursou dizendo que “a Bahia precisa do novo, e recuperar o respeito”. Que paradoxo. Essa Bahia não esquece o “padin” ACM… Deve ser efeito da novela Gabriela?

Para a Câmara de São Paulo, se elegeram Nabil Bonduki, Ricardo Young, Covas Neto e Matarazzo, bons quadros para a política local.

Meus amigos, o ator Pereio e o surfista-cadeirante Taiú, ficaram de fora, uma pena. Levariam um jeitão não viciado de fazer política à Câmara.

Soninha estaria lá, se não fosse a teimosia de sair candidata à Prefeitura.

A derrota do ex-ministro Orlando Silva [PC do B] surpreendeu, afinal tinha Lula no horário eleitoral afirmando ser ele o seu candidato. Já Netinho do mesmo partido conseguiu se eleger. E o PSOL fez 1 vereador.

Os neo-Tiriricas, como Mulher Pera, Vovó da Fiel, foram derrotados. Assim como a galera do futebol, Dinei, Marcelinho Carioca e Ademir da Guia. O independente e medalhista Aurélio Miguel continua vereador.

Galera do cassetete, Coronel Telhada, Conte Lopes, Eduardo Tuma, também.

Não cruzarão com Renato Cinco, líder da Marcha da Maconha, que foi eleito vereador lá pelo Rio de Janeiro. Seria um “mão na cabeça, maconheiro vagabundo!” se não fossem os 400 km de distância.

PT de São Paulo agora quer o apoio de Russomano. Baixo Augusta e Praça Roosevelt vão se dividir.

Como fica o grupo de tucanos e petistas que organizou o movimento “Amor sim, Russomano não”?

Vai deixar de amar?

Talvez Criolo tenha razão, e não existe amor em SP.

Especialmente na hora de coligar, na batalha do segundo turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato