Fla-Flu nas artes plásticas

Fla-Flu nas artes plásticas

Marcelo Rubens Paiva

13 Setembro 2017 | 21h35

 

Líder do MBL zoado em tumblr.

O protesto contra a exposição de temática “queer” do Santander Cultural elevou o racha político ao biscoito fino: as artes plásticas.


De repente, uma militância contrária à exposição passou a conhecer Adriana Varejão, uma das 250 artistas expostas, e a xingá-la pela internet.

E aqueles que defendem uma arte provocativa, que promova debate, defenda a diversidade e exclua qualquer tipo de censura ou controle ao pensamento do artista, descobriu que um movimento conservador, como MBL, também frequenta exposições (e a se choca).

Procurado, o curador da mostra tirada de cartaz de Porto Alegre, Gaudêncio Fidélis, confirmou que há convites para levá-la a outras cidades.

BH saiu na frente.

“Existe uma logística complexa sobre a qual nem consigo pensar agora”, diz Gaudêncio. “Estou respondendo a infinitas solicitações de entrevistas de diversos países e está absurda esta demanda.”

Ainda não fechou com ninguém.

Analisa todas as propostas e decidirá na bonança o que fazer: “Estou aberto a todas as solicitações”.

Enquanto isso, #InternetNaoPerdoa.

O líder mais famoso do MBL, Kim Kataguri, ganhou um tumblr em que aparece em montagens de fotos “queer” (gays): queerkaraguiri.tumblr.com.

Fotos montagens em obras de Mappletorph, David Lachapelle, Terry Richardson e até da Vinci.

Ficou bem.