Filme inspirado em Strauss-Kahn é censurado nos EUA

Filme inspirado em Strauss-Kahn é censurado nos EUA

Marcelo Rubens Paiva

27 Março 2015 | 18h27

ny-c

 

BEM-VINDO A NOVA YORK, filme de ABEL FERRARA sobre DMK (Dominique Strauss-Kahn), antigo homem forte do FMI, preso de 2011 depois da acusação de avançar sobre uma camareira em Nova York, estreará com cortes nos EUA.

O filme, que já passou no Brasil e foi exibido no Festival de Cannes no ano passado, estreia só amanhã, sexta, nos EUA.

Mas não com a versão que passou por aqui, no Reino Unido e na França, a “versão do diretor”.

O filme está 15 minutos mais curto que a versão original.

A cena do suposto estupro ficou em segundo plano.

“É uma censura arbitrária”, reclamou Ferrara ao New York Times. “É uma versão ilegítima, mudaram o debate político do filme.”

Com o nome “Welcome to New York”, o filme procura reler os acontecimentos do antigo chefe do FMI, socialista barbada para eleição presidencial na França, através da ficção.

Estrelado por Gerard Depardieu, Georges Devereaux, similar a DSK, aparece no Poder cercado prostitutas, sempre em bacanais e atacando a camareira do hotel, exatamente como ela descreveu no processo.

Ferrrara disse que processará a distribuidora IFC Films.

Strauss-Kahn foi preso e pagou fiança de US$ 1 milhão.

O processo criminal virou civil, depois que ele ofereceu uma indenização à camareira de mais de US$ 1,5 milhão.

 

https://www.youtube.com/watch?v=klSTRHigHrg