Exército na Sabesp assusta

Marcelo Rubens Paiva

27 Maio 2015 | 11h54

Os teóricos da conspiração vão adorar.

As redes sociais ficarão inundadas de boatos e pânico.

Como se não bastasse o clima pesado (e seco), uma operação do Exército na Sabesp desde segunda-feira- nada sutil, com carros e soldados armados nas ruas-, parece roteiro de filme apocalíptico de ação.

Não são terroristas, zumbis, ETs ou nenhuma bactéria misteriosa.


O que o Exército Brasileiro faz nesta semana em Pinheiros, no Complexo Costa Carvalho, sede da Sabesp?

Um exercício para ocupar a companhia num momento de “crise social”, inclusive dentro dos corredores, operação coordenada pelo Comando Militar do Sudeste.

Funcionários relatam que nunca viram nada parecido, apesar da empresa afirmar que é rotina.

A área da Sabesp é estratégica. A operação segue a doutrina da preservação da ordem pública, do patrimônio e segurança nacional.

Há um mês, o Exército recebeu a visita do diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, para discutir a crise hídrica e falar da possibilidade da água acabar em julho.

A Sabesp e Governo continuam garantindo que a ligação Represa Billings – Sistema Alto Tietê, depois de um atraso de 3 meses, diminui a possibilidade de um rodízio se finalizada no prazo (setembro).

Para acalmar o burburinho dentro da empresa, soltaram só hoje o comunicado aos funcionários:

 

Exército Brasileiro realiza operação de segurança no Complexo Costa Carvalho

Área da Sabesp é considerada estratégica e ação faz parte das atividades militares preventivas que visam a preservação da ordem pública e a proteção das pessoas e do patrimônio

Nesta quarta-feira, 27 de maio, o Comando Militar do Sudeste do Exército Brasileiro estará nas dependências da Sabesp, no Complexo Costa Carvalho, para uma operação inserida no contexto de segurança nacional. Trata-se de simulação para uma eventual necessidade de ocupação em um momento de crise, uma vez que a área da Sabesp é considerada estratégica.

Militares e veículos deverão chegar logo nas primeiras horas do dia e desenvolverão as atividades de segurança no decorrer da quarta-feira sem qualquer interferência na rotina de trabalho da companhia. Para garantir o sucesso da operação, o trabalho de reconhecimento do terreno pelos oficiais do Exército Brasileiro está sendo realizado desde o dia 25.