Coca-Cola esclarece

Marcelo Rubens Paiva

26 Setembro 2014 | 14h05

Sobre um vídeo que roda a rede, de que um sujeito aquece o conteúdo de uma Coca-Cola até restar uma calda pastosa, a empresa esclarece:

 

Prezado Marcelo Rubens Paiva,
Sobre o post publicado em seu blog no site do Estadão no dia 25/09, a Coca-Cola Brasil gostaria de esclarecer que:
 

Refrigerantes, em geral, são compostos por água, açúcar, gás carbônico e aditivos alimentares listados na rotulagem. Todos os ingredientes e aditivos utilizados na Coca-Cola são absolutamente seguros e aprovados pelas agências reguladoras de todos os países onde o produto é comercializado.
O experimento mostrado no vídeo não reproduz a forma como a bebida é ingerida e processada pelo organismo, já que nenhum alimento ou bebida é torrado no fogo antes de ser consumido. O efeito observado com Coca-Cola seria muito similar a ferver e queimar qualquer outro alimento. O material orgânico contido no alimento ou bebida seria carbonizado. A queima vai exalar fumaça e o material residual vai torrar no fogo até ser reduzido a uma borra negra – carbonizada – que é a aparência esperada de qualquer material orgânico submetido à queima.

Coca-Cola contém açúcar em sua composição, um material orgânico, e ao ser carbonizado, assume a aparência de qualquer outro alimento ou bebida que venha a ser carbonizado. Neste experimento, se a Coca-Cola fosse substituída por suco ou pedaços de fruta, mel ou iogurte adoçado, o efeito final da carbonização (queima do alimento) seria o mesmo.

Atenciosamente, 

 
Tá registrado.