As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Primeira noite em Fortaleza

Luiz Zanin Oricchio

02 Junho 2007 | 19h10

FORTALEZA – Fui dar meu passeio agora na Avenida Beira-Mar, antes da sessão da noite do Cine Ceará. Bom, a tal sessão promete. Pelo menos, será considerável o esforço físico de ver dois longas-metragens (um argentino, um português) mais os curtas, vídeos e homenagens. Na verdade, a mostra competitiva começa hoje, com esses dois longas. Ontem, foi só a abertura. Bastante tumultuada, por sinal. Houve um protesto de estudantes contra a poluição de um rio, troca de rolos do longa de abertura A Ilha da Morte e um calor infernal dentro do Cine São Luís, pois o ar condicionado não dá conta do recado quando a sala está cheia.

Do que gostei mesmo, até agora, foi ter começado a ver ou rever os documentários produzidos e/ou dirigidos por Thomaz Farkas, a que fui assistir agora à tarde no Instituto Dragão do Mar. Diverti-me demais com Hermeto, Campeão, um média-metragem dedicado ao genial Hermeto Paschoal. Vi também Vitalino, Cuíca e Berimbau, três curtas-metragens. Ok, são os filmes que hoje a gente chamaria de “folclóricos”, com pouca propriedade. Dizem muito do Brasil e da época em que foram feitos. Só por isso já me interessam. Agora tenho de ir ao cinema. Depois conto mais. Até.