As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Permanência’ vence o 19º cine PE

Luiz Zanin Oricchio

09 Maio 2015 | 01h12

RECIFE – E acabou dando “Permanência”, de Leonardo Lacca como vencedor do troféu de melhor filme do 19º Cine PE. Claro que ele tinha pela frente um peso-pesado, “Cavalo Dinheiro”, do português Pedro Costa, que vem encantando todos os festivais por onde passa. Foi, inclusive, premiado no badalado Festival de Locarno, na Suíça. O júri brasileiro do Cine PE deve ter entendido que mais um troféu faria pouca diferença para Pedro Costa e preferiu destacar “Permanência”. Acho que fez bem. Mesmo assim, “Cavalo Dinheiro” ficou com as Calungas (o troféu do Cine PE) de direção e roteiro. Entendo que foi uma boa solução.

Mesmo porque põe em evidência este “Permanência”, que cresce com a revisão. Já o havia visto no Festival do Rio, no ano passado e assisti de novo, agora em Recife. Gostei ainda mais. Me pareceu que o descentramento do personagem de Irandhir Santos, na megalópole de São Paulo, é muito bem trabalhado. Ele vai do Recife a Sampa para fazer a sua exposição de fotos e lá envolve-se com uma bela mulher (Laila Pas). Ao mesmo tempo, hospeda-se na casa de sua ex (Rita Carelli) e tenta reatar o relacionamento com o pai, com quem pouco conviveu. A cidade, a selva de pedra, as relações frágeis, a frieza, tudo isso entra como personagem num trabalho sensual, belamente filmado e interpretado.

Entre os curtas, a animação Até a China, de Marão (RJ) venceu o troféu principal. Os outros prêmios foram divididos entre Marão e O Segredo da Família Urso, de Cíntia Bittar, um diálogo entre cinema de gênero e cinema político, de resultado interessante. Até a China é um relato autobiográfico da visita do diretor ao país, cheio de ironia e bom-humor.

Os debates sobre os filmes foram interessantes e a Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema ) inaugurou uma nova modalidade de reflexão para os festivais – os Encontros com a Crítica, iniciativa que deverá se repetir em outros eventos.


Neste primeiro, dedicado ao tema “O cinema brasileiro e a crítica”, houve uma bela troca de ideias, em especial pela intervenção provocativa de Amin Stepple, cineasta e mentor do “Árido Movie”, o movimento que, nos anos 1990, desencadeou a renovação do novo cinema pernambucano. Amin disse, com todas as letras, que, apesar do sucesso, o cinema pernambucano não pode se acomodar na autocongratulação e na autocomplacência. Senão, corre o risco da esterilidade e da mediocrização.

Às vezes, o excesso de sucesso faz mal e a unanimidade pode conduzir a becos sem saída. A crítica tem o dever de arejar essas zonas de conforto que se criam. O debate teve ainda participação dos críticos pernambucanos Luiz Joaquim e Julio Cavani, da mineira-brasiliense-paulistana Maria do Rosário Caetano e deste paulistano que vos fala. Aprendemos todos, pensando juntos e assim é que deve ser. Crítica é pensamento em movimento, não teses prontas ou estrelinhas de classificação de filmes. Foi legal.

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS 

 

Melhor Filme: Permanência (PE), de Leonardo Lacca

Direção: Pedro Costa, por Cavalo Dinheiro (Portugal)

Roteiro: Pedro Costa, por Cavalo Dinheiro (Portugal)

Fotografia: Pedro Costa e Leonardo Simões, por Cavalo Dinheiro (Portugal)

Montagem: Karen Akerman, por Aqui Deste Lugar (SP)

Edição de Som: Miram Biderman, ABC e Ricardo Reis, por O Vendedor de Passados (RJ)

Trilha Sonora: Petrônio e as Criaturas, por O Gigantesco Ímã (PE)

Direção de Arte: Juliano Dornelles, por Permanência (PE)

Ator Coadjuvante: Genésio de Barros, por Permanência (PE)

Atriz Coadjuvante: Laila Pas, por Permanência (PE)

Ator: Lázaro Ramos, por O Vendedor de Passados (RJ)

Atriz: Rita Carelli, por Permanência (PE)

Prêmio do júri popular: Mães do Pina (PE), de Leo Falcão

 

Prêmio da Crítica (júri da Abraccine): Cavalo Dinheiro, de Pedro Costa

Prêmio da Crítica (júri da Abraccine)Xirê, de Marcelo Pinheiro (PE)

Menção Honrosa da AbraccineO Poeta Americano (PE)

 

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

 

Melhor Filme: Até a China (RJ), de Marão

Direção: Cíntia Domit Bittar, por O Segredo da Família Urso (SC/SP)

Roteiro: Marão, por Até a China

Atriz: Liz Comerlatto, por O Segredo da Família Urso

Ator: Vinicius Tardio, por Vestibular (SP)

Fotografia: Kaue Zilli e Pepe Mendes, por Vestibular

Direção de Arte: Dicezar Leandro, por O Segredo da Família Urso

Edição de Som: Gustavo de Souza, por O Segredo da Família Urso

Trilha Sonora: Eduardo Braga, por Bajado (PE)

Montagem: Cao Guimarães, por Palace Hotel (MG)

Prêmio do Júri Popular: Até a China, de Marão

 

Prêmio Canal Brasil para o Melhor CurtaBajado, de Marcelo Pinheiro (PE)

 

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

 

Melhor Filme: Salu e o Cavalo Marinho, de Cecília da Fonte

Direção: Lírio Ferreira, por O Poeta Americano

Prêmio do Júri Popular para o Melhor Filme: Salu e o Cavalo Marinho

 

Menção honrosa do júri da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema): O Poeta Americano, de Lírio Ferreira.

Mais conteúdo sobre:

Cine PE 2015