As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mutum capta a delicadeza do universo de Rosa

Luiz Zanin Oricchio

19 Outubro 2007 | 13h13

Há muitas maneiras de um filme dar certo e outras tantas de dar errado. Em Mutum, Sandra Kogut faz opção singela para uma tarefa difícil – adaptar para a tela uma das obras de Guimarães Rosa, Miguilim, de Campo Geral. Recria o ambiente, os silêncios, a violência surda do ambiente rural, a história que se desenvolve em tom rarefeito, discreto e eloqüente ao mesmo tempo. É o ponto de vista de uma criança, mas que vê com lucidez o mundo adulto. De certo modo, o filme fala de como de um ponto cego pode-se às vezes ver melhor que de outros. Não deixa de ser também uma metáfora do cinema.

Serviço

Cine Bombril 1: Dia 24, 20h30. Espaço Unibanco 3: Dia 25, às 15h10. Cine Bombril 2: Dia 28, às 15h30. Cotação: Ótimo