Mostra 2017. Tempo de revolução
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mostra 2017. Tempo de revolução

Luiz Zanin Oricchio

23 Outubro 2017 | 10h16

Dois programas coligados – O Outubro Real e O Jovem Karl Marx falam dos ideais de igualdade social, arquivados neste momento histórico.

Em O Jovem Kark Marx, Raoul Peck, escolhe como recorte os tempos iniciais de ativismo real e intelectual de Marx. Em especial, sua amizade com Friedrich Engels, seu relacionamento com a esposa, Jenny, e outras personagens, como a operária Mary Burns, que fornece aos dois intelectuais a experiência real do que é ser uma trabalhadora na época da Revolução Industrial. Outros personagens surgem no retrato, como o anarquista Bakunin e o socialista Proudhon.  Formalmente impecável, embora sem imaginação, O Jovem Karl Marx resgata uma época fundamental para o entendimento do que viria depois.

De maneira criativa, Katrin Rothe (Suíça) tenta entender o que aconteceu naquele ano de 1917 na Rússia. Através de técnicas de recorte, colagem e animação, escolhe um viés – o dos artistas – e busca um fio condutor nas falas e escritos de gente como Gorki, Malevich, Maiakovski e outros. A busca é criativa e, à força de imaginação, somos conduzidos a um tempo convulsivo, em que ideias e ideais são jogados numa panela de pressão social, cheia de contradições. Muito bom.


 

O Jovem Karl Marx

Dia 29/1017:15 – ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 1

Dia 30/1019:20 – ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 2

Dia 31/1021:00 – ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1

O Outubro Real

Dia 28/1019:00 – CIRCUITO SPCINE OLIDO

 A cobertura da Mostra está em http://cultura.estadao.com.br/blogs/luiz-zanin/