Críticos elegem ‘Martírio’ melhor filme de 2017
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Críticos elegem ‘Martírio’ melhor filme de 2017

Documentário sobre o massacre dos guarani-kaiowás foi o mais votado pelos membros da Abraccine, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Luiz Zanin Oricchio

19 Janeiro 2018 | 09h05

 

Martírio, de Vincent Carelli, com codireção de Ernesto Carvalho e Tita, foi eleito o melhor longa-metragem nacional de 2017.

O melhor longa estrangeiro foi Paterson, de Jim Jarmusch.

Mamata, de Marcus Curvelo , venceu como melhor curta-metragem brasileiro.

 

Martírio levou algum tempo para se impor como obra cinematográfica aos críticos. Poderosa denúncia do massacre dos guarani-kaiowás era tido, por parte da crítica, como “apenas importante por seu conteúdo”. Aos poucos foi mostrando que era bom também na feitura e na forma, tornando-se título incontornável sobre a dimensão política da questão indígena no Brasil.

Paterson, de Jim Jarmusch, é um dos raros filmes a investir na dimensão da poesia neste mundo conturbado. Um belíssimo filme, com Adam Driver no papel de dublê de motorista de ônibus e escritor de poemas.

Mamata é o tipo de filme que se impõe ao público jovem pela maneira como comenta e escracha o atual momento político do país. É muito divertido e catártico na primeira vez que se vê.

 

Sobre a Abraccine: é uma entidade de âmbito nacional, com associados em todas as regiões do país. Possui atualmente cerca de cem sócios.  site: www.abraccine.org