Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Zapeando…

Cultura

Luiz Carlos Merten

17 Setembro 2010 | 10h33

Dei uma zapeada pelos comentários recentes – a gente pode usar o termo, não? – e encontrei algumas pérolas. Otávio informa que o Eurochannel, na terça que vem, dia 21, homenageia Claude Chabrol mostrando justamente o maior de seus filmes, ‘O Açougueiro’, Le Boucher, de 1970, com Jean Yanne e Stéphane Audran. Régis relata seu passeio pelo Quartier Latin e pelos cineminhas ‘d’art et essai’ que gosto de frequentar em Paris. La Filmothèque, o Reflets Médicis. Régis só não encontrou o Accatone. Era só subir mais duas quadras pelo Boulevard Saint Michel, até a Rue Cujas e dobrar à esquerda. Mas o que ele conta que esses cinemas anunciam e exibem já me deu água na boca. Celdani (re)viu na TV paga ‘Almas em Suplício’, o famoso ‘Mildred Pierce’, de Michael Curtiz, que deu o Oscar para Joan Crawford – pelo papel que Bette Davis recusou e o produtor queria dar para Barbara Stanwyck. Michael Curtiz era f… Húngaro de nascimento, críticos e historiadores adoram contar como ele assassinava alegremente o inglês, mas é impressionante que tenha feito tantos filmes, e tantos grandes, em gêneros completamente diversos. ‘Mildred Pierce’ foi meu destaque nos filmes na TV, justamente no dia em que Celdani o viu. Joan faz mulher ambiciosa que se sacrifica pela filha egoísta. E ambas desejam o mesmo homem. É um dos filmes preferidos de Pedro Almodóvar e, em Cannes, participei de um grupo em que ele contou como a relação de Penelope Cruz com a filha, o assassinato na cozinha e a fuga, em ‘Volver’, foram inspirados pelo filme de Curtiz. Lembrei-me agora de um recado que quero dar – à 1h15 (da madrugada) de amanhã, no TCM, volta ‘Lord Jim’, que Richard Brooks adaptou do romance de Joseph Conrad. Gosto muito do ex-marido de Jean Simmons e, de todos os seus filmes, esse é o que carrego no coração. A expressão de pavor de Peter O’ Toole quando ele imagina o casco do navio, o Patna, se rompendo. A covardia, que o perde, e o desespero que o transforma num pária, à espera de redenção, A beleza de Daliah Lavi, ‘The Girl’, no desfecho, quando se cumpriu o destino reparador – ‘Patusan’, Patna + ‘Us’, nós. ‘Lord Jim’ é de 1965. Naquele tempo, os filmes, mesmo os de Hollywood, demoravam um pouco para chegar ao Brasil. ‘Lord Jim’ deve ter estreado em 1966. Devia ter 20/21 anos. Não era nenhuma criança, mas meu assombrto pelo filme foi imenso. Permanece até hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato